Actualidade
Reivindicação

Professores da Faculdade de Letras da UAN em greve a partir de hoje

Professores da Faculdade de Letras da UAN em greve a partir de hoje
Foto por:
vídeo por:
DR

Os professores da Faculdade de Letras da Universidade Agostinho Neto (FLUAN), afectos ao período pós-laboral, vão entrar em greve hoje, dia 15 de Maio , a partir das 18h, confirmou esta tarde ao ONgoma Manuel da Silva Domingos, coordenador do Núcleo e porta-voz do SINPES nacional.

De acordo com o responsável, que anunciou a grave na última sexta-feira na sua página do Facebook, em causa está o não cumprimento do princípio de mensalidade no pagamento do complemento salarial do período Pós-laboral. 

"A decisão da greve inicialmente proposta para o dia 02/05/2017 foi tomada na Assembleia de Docentes, no dia 21 de Abril do ano em curso, tendo-se cumprido com todos os pressupostos da Lei 23/91, de 15 de Junho, Lei da Greve", referiu.

Lê-se ainda na página de Facebook do referido responsável que  na Assembleia foram eleitos cinco delegados de greve, nomeadamente o “Mestre Manuel da Silva Domingos (Coordenador do Núcleo e Porta-voz do SINPES nacional); Dr. Miguel Manuel (Coordenador-adjunto e Assessor Jurídico do SINPES nacional); Mestre Domingas Henriques Monteiro (Tesoureira e Chefe do Gabinete do Secretário-geral do SINPES nacional), Professor Doutor Zanene Marcelino e Professor Doutor Luntadila Nlandu Inocente."

Numa tentativa de negociação, a direcção da FLUAN reuniu-se com os cinco delegados de greve no dia 27 de Abril na referida instituição. A esse propósito, o coordenador de núcleo escreveu que "apesar  de na reunião em causa a Direcção da instituição não ter sido transparente quanto ao exercício financeiro do pós-laboral, usando do princípio da boa-fé, os delegados, a pedido do Decano, decidiram ponderar até ao dia 10 de Maio, data em que a mesma Direcção se comprometeu em pagar os salários de Março e Abril de 2017." Entretanto,  essa moratória não foi cumprida, tendo-se verificado o pagamento de apenas um mês no dia 12 de Maio, esclareceu Manuel da Silva Domingos.

Por esse facto, o responsável avança que foi entregue à Direcção da FLUAN a "Declaração de Greve", cuja cópia protocolada foi afixada na sala de professores e enviada (com os competentes anexos) aos responsáveis máximos do Sindicato de Professores do Ensino Superior (SINPES), ao Ministério do Ensino Superior, à Reitoria da UAN e à Inspecção Geral do Trabalho. 

Após a fixação de panfletos sobre a greve por integrantes do núcleo em referência, os estudantes do período afectado manifestaram total insatisfação com o sucedido, pois alegam ter pago as propinas até ao mês de Julho próximo.

6galeria

Venâncio Chambumba

Os professores da Faculdade de Letras da Universidade Agostinho Neto (FLUAN), afectos ao período pós-laboral, vão entrar em greve hoje, dia 15 de Maio , a partir das 18h, confirmou esta tarde ao ONgoma Manuel da Silva Domingos, coordenador do Núcleo e porta-voz do SINPES nacional.

De acordo com o responsável, que anunciou a grave na última sexta-feira na sua página do Facebook, em causa está o não cumprimento do princípio de mensalidade no pagamento do complemento salarial do período Pós-laboral. 

"A decisão da greve inicialmente proposta para o dia 02/05/2017 foi tomada na Assembleia de Docentes, no dia 21 de Abril do ano em curso, tendo-se cumprido com todos os pressupostos da Lei 23/91, de 15 de Junho, Lei da Greve", referiu.

Lê-se ainda na página de Facebook do referido responsável que  na Assembleia foram eleitos cinco delegados de greve, nomeadamente o “Mestre Manuel da Silva Domingos (Coordenador do Núcleo e Porta-voz do SINPES nacional); Dr. Miguel Manuel (Coordenador-adjunto e Assessor Jurídico do SINPES nacional); Mestre Domingas Henriques Monteiro (Tesoureira e Chefe do Gabinete do Secretário-geral do SINPES nacional), Professor Doutor Zanene Marcelino e Professor Doutor Luntadila Nlandu Inocente."

Numa tentativa de negociação, a direcção da FLUAN reuniu-se com os cinco delegados de greve no dia 27 de Abril na referida instituição. A esse propósito, o coordenador de núcleo escreveu que "apesar  de na reunião em causa a Direcção da instituição não ter sido transparente quanto ao exercício financeiro do pós-laboral, usando do princípio da boa-fé, os delegados, a pedido do Decano, decidiram ponderar até ao dia 10 de Maio, data em que a mesma Direcção se comprometeu em pagar os salários de Março e Abril de 2017." Entretanto,  essa moratória não foi cumprida, tendo-se verificado o pagamento de apenas um mês no dia 12 de Maio, esclareceu Manuel da Silva Domingos.

Por esse facto, o responsável avança que foi entregue à Direcção da FLUAN a "Declaração de Greve", cuja cópia protocolada foi afixada na sala de professores e enviada (com os competentes anexos) aos responsáveis máximos do Sindicato de Professores do Ensino Superior (SINPES), ao Ministério do Ensino Superior, à Reitoria da UAN e à Inspecção Geral do Trabalho. 

Após a fixação de panfletos sobre a greve por integrantes do núcleo em referência, os estudantes do período afectado manifestaram total insatisfação com o sucedido, pois alegam ter pago as propinas até ao mês de Julho próximo.

6galeria

Artigos relacionados

Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form