Ciência & Tecnologia
Satélite

Ministro destaca operacionalidade do Angosat-2 e aconselha mais empresas a explorarem as suas valências

Ministro destaca operacionalidade do Angosat-2 e aconselha mais empresas a explorarem as suas valências
Foto por:
vídeo por:
DR

O ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social, Mário Oliveira, afirmou ontem em Luanda que os serviços do Angosat-2 já beneficiam 16 das 18 províncias do país, tendo apelado as demais empresas a explorarem ao máximo as valências dessa infra-estrutura, que também “permite o desenvolvimento das staturps no país”.

Nessas 16 províncias, foram instalados mais de 150 terminais “Very Small Aperture Terminal” (VSAT), pequenas antenas provedoras de serviços de internet, reduzindo, cada vez mais, a assimetria e promove a inclusão digital para os cidadãos, sendo então que, assim, mais de 150 localidades recônditas do país, entre comunas e municípios, estão conectadas com os serviços de telecomunicações através do satélite, segundo o governante, que falava no encerramento da Semana Mundial do Espaço, assinalado anualmente de 4 a 10 de Outubro de cada ano.

Mário Oliveira apontou ainda a criação do projecto “Conecta Angola” e o funcionamento das plataformas “Tech-Gest”, “Tech-Agro”, “Tech-Ecologia” e a “Tech-Minas” como exemplos mais evidentes dos benefícios do satélite angolano, tendo citado o Conecta Angola como sendo uma das ferramentas que funciona através do Angosat-2 e que já permitiu levar os serviços de internet a duas comunas do país, designadamente Belo Horizonte (Bié) e Canzar (Lunda Norte), para além de beneficiar a província de Luanda.

Já a Tech-minas é uma solução tecnológica que faz recurso a imagens de satélites e drones para monitorar a construção de infra-estruturas, como estradas, habitações entre outras. Esta ferramenta consta do Top 100 dos melhores projectos do mundo da inteligência artificial, estando alinhado com os Objectivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), enquanto a TECH-Agro está disponível para o monitoramento e mapeamento das áreas de cultivo, identificação automática do tipo de cultivo e estimativa da produtividade da colheita.

Na mesma senda, a Tech-Ecologia serve para o monitoramento de derrames de petróleo, combate à desertificação e restauração de áreas degradadas, ao passo que a Tech-Minas permite localizar minerais com precisão, gerar alertas, monitorar a actividade das indústrias, entre outras funções.

Segundo ainda o ministro, citado pela Angop, a disponibilidade dessas soluções tecnológicas no mercado nacional revela mais uma vez que “o Angosat-2 encontra-se em fase comercial e está a ser utilizado para a prestação de serviços de telecomunicações aos operadores nacionais”, sublinhado por outro lado que “o país registou aproximadamente 500 mil interacções nas redes sociais e no portal do Gabinete de Gestão do programa Espacial Nacional (GGPEN) e mais de cinco milhões de cidadãos, através dos meios de comunicação social convencional”.

Actualmente, informou, o país conta com 54 embaixadores para a educação espacial em diversas províncias, maioritariamente jovens que têm a missão de divulgar os benefícios do sector espacial, junto das suas comunidades.

Sob o lema “O Espaço e o Empreendedorismo”, a Semana Mundial do Espaço, comemoração estabelecida pela Organização das Nações Unidas (ONU) com o objectivo de celebrar o contributo da ciência e da tecnologia espacial para o melhoramento da condição humana, ficou marcada com a realização de diversas actividades alinhadas com o Eixo 2 da Estratégia Espacial Nacional: “Capacitação e Promoção”, com destaque para os feitos do país no sector espacial para se alcançar os Objectivos de Desenvolvimento Sustentáveis (ODS).

Destaque

No items found.

6galeria

Redacção

O ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social, Mário Oliveira, afirmou ontem em Luanda que os serviços do Angosat-2 já beneficiam 16 das 18 províncias do país, tendo apelado as demais empresas a explorarem ao máximo as valências dessa infra-estrutura, que também “permite o desenvolvimento das staturps no país”.

Nessas 16 províncias, foram instalados mais de 150 terminais “Very Small Aperture Terminal” (VSAT), pequenas antenas provedoras de serviços de internet, reduzindo, cada vez mais, a assimetria e promove a inclusão digital para os cidadãos, sendo então que, assim, mais de 150 localidades recônditas do país, entre comunas e municípios, estão conectadas com os serviços de telecomunicações através do satélite, segundo o governante, que falava no encerramento da Semana Mundial do Espaço, assinalado anualmente de 4 a 10 de Outubro de cada ano.

Mário Oliveira apontou ainda a criação do projecto “Conecta Angola” e o funcionamento das plataformas “Tech-Gest”, “Tech-Agro”, “Tech-Ecologia” e a “Tech-Minas” como exemplos mais evidentes dos benefícios do satélite angolano, tendo citado o Conecta Angola como sendo uma das ferramentas que funciona através do Angosat-2 e que já permitiu levar os serviços de internet a duas comunas do país, designadamente Belo Horizonte (Bié) e Canzar (Lunda Norte), para além de beneficiar a província de Luanda.

Já a Tech-minas é uma solução tecnológica que faz recurso a imagens de satélites e drones para monitorar a construção de infra-estruturas, como estradas, habitações entre outras. Esta ferramenta consta do Top 100 dos melhores projectos do mundo da inteligência artificial, estando alinhado com os Objectivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), enquanto a TECH-Agro está disponível para o monitoramento e mapeamento das áreas de cultivo, identificação automática do tipo de cultivo e estimativa da produtividade da colheita.

Na mesma senda, a Tech-Ecologia serve para o monitoramento de derrames de petróleo, combate à desertificação e restauração de áreas degradadas, ao passo que a Tech-Minas permite localizar minerais com precisão, gerar alertas, monitorar a actividade das indústrias, entre outras funções.

Segundo ainda o ministro, citado pela Angop, a disponibilidade dessas soluções tecnológicas no mercado nacional revela mais uma vez que “o Angosat-2 encontra-se em fase comercial e está a ser utilizado para a prestação de serviços de telecomunicações aos operadores nacionais”, sublinhado por outro lado que “o país registou aproximadamente 500 mil interacções nas redes sociais e no portal do Gabinete de Gestão do programa Espacial Nacional (GGPEN) e mais de cinco milhões de cidadãos, através dos meios de comunicação social convencional”.

Actualmente, informou, o país conta com 54 embaixadores para a educação espacial em diversas províncias, maioritariamente jovens que têm a missão de divulgar os benefícios do sector espacial, junto das suas comunidades.

Sob o lema “O Espaço e o Empreendedorismo”, a Semana Mundial do Espaço, comemoração estabelecida pela Organização das Nações Unidas (ONU) com o objectivo de celebrar o contributo da ciência e da tecnologia espacial para o melhoramento da condição humana, ficou marcada com a realização de diversas actividades alinhadas com o Eixo 2 da Estratégia Espacial Nacional: “Capacitação e Promoção”, com destaque para os feitos do país no sector espacial para se alcançar os Objectivos de Desenvolvimento Sustentáveis (ODS).

6galeria

Artigos relacionados

No items found.
Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form