Sociedade
Arte e Cultura

Jovens comprometem-se a ressuscitar projectos culturais na Cela

Jovens comprometem-se a ressuscitar projectos culturais na Cela
Foto por:
vídeo por:
Cedidas

Os projectos “Ano Família e os Aspectos Socio-culturais da Cela” e “Jango em Minha Casa” da Associação dos Jovens Amigos da Literatura (AJAL), vão ser reactivados, informou o recém-empossado responsável da AJAL na Cela.

André Dianga, que falou à margem das actividades que marcaram o relançamento da AJAL, naquele município, no passado dia 4 deste mês, disse que os mesmos constituem propostas prioritárias e vai se dar avanço a eles, uma vez que “nos perdemos nas culturas alheias e, então, nada melhor do que resgatar a nossa cultura, os nossos valores, para fazermos frente aos desafios que diariamente enfermam a nossa sociedade”.

De acordo com o jovem dirigente, a fase seguinte para o município da Cela será levar de Luanda para o Waku-kungo o projecto Noites Amenas - Vozes dos Heróis Anónimos.

“Acredito que aqui também vai funcionar. Temos muitos heróis desconhecidos, pessoas que com o pouco fazem muito, lutam, influenciam as pessoas, criam iniciativas de trabalho e empregam pessoas, mas que se passam de forma despercebidas”, garante.

Por sua vez, Dianga Fonseca reconheceu que os problemas da juventude na Cela são vários e “ é preciso moralizá-los muito”.

“Há um perigo, que é o da zona de conforto. Isto leva que as primeiras iniciativas não sejam apoiadas pelos jovens e faz com que, se a pessoa não tiver forças, desista. Mas, nós, na AJAL, temos provas que não fomos feitos para desistir”, rematou.

6galeria

Andrade Lino

Jornalista

Estudante de Língua Portuguesa e Comunicação, amante de artes visuais, música e poesia.

Os projectos “Ano Família e os Aspectos Socio-culturais da Cela” e “Jango em Minha Casa” da Associação dos Jovens Amigos da Literatura (AJAL), vão ser reactivados, informou o recém-empossado responsável da AJAL na Cela.

André Dianga, que falou à margem das actividades que marcaram o relançamento da AJAL, naquele município, no passado dia 4 deste mês, disse que os mesmos constituem propostas prioritárias e vai se dar avanço a eles, uma vez que “nos perdemos nas culturas alheias e, então, nada melhor do que resgatar a nossa cultura, os nossos valores, para fazermos frente aos desafios que diariamente enfermam a nossa sociedade”.

De acordo com o jovem dirigente, a fase seguinte para o município da Cela será levar de Luanda para o Waku-kungo o projecto Noites Amenas - Vozes dos Heróis Anónimos.

“Acredito que aqui também vai funcionar. Temos muitos heróis desconhecidos, pessoas que com o pouco fazem muito, lutam, influenciam as pessoas, criam iniciativas de trabalho e empregam pessoas, mas que se passam de forma despercebidas”, garante.

Por sua vez, Dianga Fonseca reconheceu que os problemas da juventude na Cela são vários e “ é preciso moralizá-los muito”.

“Há um perigo, que é o da zona de conforto. Isto leva que as primeiras iniciativas não sejam apoiadas pelos jovens e faz com que, se a pessoa não tiver forças, desista. Mas, nós, na AJAL, temos provas que não fomos feitos para desistir”, rematou.

6galeria

Artigos relacionados

Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form