Actualidade
Política

“José Eduardo tinha que estar aqui para ver os problemas do povo”, afirmou Rafael Marques

“José Eduardo tinha que estar aqui para ver os problemas do povo”, afirmou Rafael Marques
Foto por:
vídeo por:
Andrade Lino

O jornalista Rafael Marques afirmou que o antigo presidente angolano, José Eduardo dos Santos, “tinha que estar aqui connosco, para ver e ajudar a resolver os problemas do povo, porque é triste que um homem que fica 38 anos no poder fuja e não consiga estar no país, tranquilo, com os seus filhos”.

O também activista social, que falava por ocasião do Goza TV do mês de Setembro último, programa promovido pela plataforma de humor Goz´Aqui, onde foi convidado, reparou, por outro lado, que as pessoas esquecem-se de que o poder continua a ser detido pelo MPLA.

Sobre o Governo de João Lourenço, observou que este é um assunto para o qual se deve olhar com algum cuidado, porque “o facto de haver um homem que está a querer fazer reformas, tem boa vontade”, e isso reconhece, “não quer dizer que tenha que tirar a equipa económica ou tirar o Governador, porque se assim for, tem que tirar o MPLA”.

“Se olharmos para o Bureau Político do MPLA, detinha 95% dos intelectuais do país, mas esse número parece não estar bem representado na estrutura do comando daquele partido, porque senão seria fácil acabarmos com essa dança de cadeiras e tudo mais, enquanto os ministros são tirados dum lugar e colocados noutro, ficam em casa a receber salários, mas não fazem nada”, disse.

Entretanto, o ainda fundador do portal Maka Angola afirmou que já não investiga o ex vice-presidente de Angola, Manuel Vicente. “Nós temos que ter algum cuidado em perceber as coisas, porque agora, de repente, no país, os “revus” são os que estão a perder as chupetas do regime anterior. Não é só a questão de termos os áudios nas redes sociais, embora haja todos os dias questões que de facto precisem ser tratadas”, referiu, tendo realçado que a precipitação que às vezes muitos dos nossos jovens têm em fazer as coisas de forma catalogada é errada.

“Têm que ser mais responsáveis, porque recorrem a mim quando têm problemas, sou acusado por um e por outros, dizendo que eu ando a fomentar manifestações”, exortou.

Questionado, de forma jocosa, se hoje a vida está melhor, o jornalista replicou que não está, porque todos os dias o telemóvel toca, e nesse caso a concentração seria emagrecer o Governo.

Enquanto cidadãos, disse, é bom cultivarmos essa capacidade crítica de intervenção no sentido de aconselharmos, até de apoiarmos o Presidente, de dizer que “precisamos de um Governo funcional, e há pessoas fora do MPLA que têm ideias, cidadãos angolanos que podem ser inovadores para que possam também fazer parte do país e possam ser ouvidos, colocar o parlamento no leito das empresas privatizadas”.

Convidado a pronunciar-se, como jornalista, sobre como resume o papel do actual Ministro da Comunicação, afirmou não ter comentários sobre isso, porque não sabe o que ele tem estado realmente a fazer.

“O Ministro não presta atenção, por isso é que teve polêmicas e teve que se desmentir a si próprio”, lamentou.

6galeria

Andrade Lino

Jornalista

Estudante de Língua Portuguesa e Comunicação, amante de artes visuais, música e poesia.

O jornalista Rafael Marques afirmou que o antigo presidente angolano, José Eduardo dos Santos, “tinha que estar aqui connosco, para ver e ajudar a resolver os problemas do povo, porque é triste que um homem que fica 38 anos no poder fuja e não consiga estar no país, tranquilo, com os seus filhos”.

O também activista social, que falava por ocasião do Goza TV do mês de Setembro último, programa promovido pela plataforma de humor Goz´Aqui, onde foi convidado, reparou, por outro lado, que as pessoas esquecem-se de que o poder continua a ser detido pelo MPLA.

Sobre o Governo de João Lourenço, observou que este é um assunto para o qual se deve olhar com algum cuidado, porque “o facto de haver um homem que está a querer fazer reformas, tem boa vontade”, e isso reconhece, “não quer dizer que tenha que tirar a equipa económica ou tirar o Governador, porque se assim for, tem que tirar o MPLA”.

“Se olharmos para o Bureau Político do MPLA, detinha 95% dos intelectuais do país, mas esse número parece não estar bem representado na estrutura do comando daquele partido, porque senão seria fácil acabarmos com essa dança de cadeiras e tudo mais, enquanto os ministros são tirados dum lugar e colocados noutro, ficam em casa a receber salários, mas não fazem nada”, disse.

Entretanto, o ainda fundador do portal Maka Angola afirmou que já não investiga o ex vice-presidente de Angola, Manuel Vicente. “Nós temos que ter algum cuidado em perceber as coisas, porque agora, de repente, no país, os “revus” são os que estão a perder as chupetas do regime anterior. Não é só a questão de termos os áudios nas redes sociais, embora haja todos os dias questões que de facto precisem ser tratadas”, referiu, tendo realçado que a precipitação que às vezes muitos dos nossos jovens têm em fazer as coisas de forma catalogada é errada.

“Têm que ser mais responsáveis, porque recorrem a mim quando têm problemas, sou acusado por um e por outros, dizendo que eu ando a fomentar manifestações”, exortou.

Questionado, de forma jocosa, se hoje a vida está melhor, o jornalista replicou que não está, porque todos os dias o telemóvel toca, e nesse caso a concentração seria emagrecer o Governo.

Enquanto cidadãos, disse, é bom cultivarmos essa capacidade crítica de intervenção no sentido de aconselharmos, até de apoiarmos o Presidente, de dizer que “precisamos de um Governo funcional, e há pessoas fora do MPLA que têm ideias, cidadãos angolanos que podem ser inovadores para que possam também fazer parte do país e possam ser ouvidos, colocar o parlamento no leito das empresas privatizadas”.

Convidado a pronunciar-se, como jornalista, sobre como resume o papel do actual Ministro da Comunicação, afirmou não ter comentários sobre isso, porque não sabe o que ele tem estado realmente a fazer.

“O Ministro não presta atenção, por isso é que teve polêmicas e teve que se desmentir a si próprio”, lamentou.

6galeria

Artigos relacionados

Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form