Internacional
Saúde

Doença desconhecida mata 7 pessoas e deixa 59 hospitalizadas na Costa do Marfim

Doença desconhecida mata 7 pessoas e deixa 59 hospitalizadas na Costa do Marfim
Foto por:
vídeo por:
DR

Cerca de Sete pessoas morreram, nesse domingo, numa aldeia no centro da Costa do Marfim, perto de Bouaké, onde outras 59 foram hospitalizadas, devido a uma doença de origem ainda desconhecida.

Das sete mortes, cinco ocorreram no Hospital Universitário de Bouaké e duas em Niangban, uma aldeia localizada a cerca de trinta quilómetros a sul, disse uma fonte hospitalar.

“Temos um total de 59 pessoas internadas” no Hospital Universitário de Bouaké, “na sua maioria crianças e alguns adolescentes” , acrescentou esta fonte, precisando que os sintomas da doença são “vómitos” e “diarreias” .

O chefe da aldeia de Niangban, Emmanuel Kouamé N'Guessan, informou que 50 pessoas estavam “no Hospital Universitário de Bouaké” . No domingo, uma auxiliar de enfermagem informou-o de que as crianças estavam “morrendo ”. Também, um amigo próximo do chef Célestin Kouadio Koffi  indicou que, segundo rumores, o mingau de milho foi o causador da contaminação .

Zitanick Amoin Yao, mãe da primeira vítima, afirmou ter comprado mingau que deu ao filho. “Depois de uma vontade de ir à casa de banho, ele começou a vomitar quando lhe dei o remédio que me foi dado no hospital de Djébonouan. Voltámos ao hospital e disseram-nos para irmos ao Hospital Universitário de Bouaké, onde ele morreu aos três anos ”, contou.

Por outro, Agnès Aya Konan, que também perdeu a filha, recusa-se a acusar o vendedor, indicando, no entanto, que os seus filhos comeram o mesmo "mingau" no domingo.

Segundo recorda o portal Africa News, em Fevereiro, na aldeia de Kpo-Kahankro, também perto de Bouaké , duas pessoas foram condenadas a cinco anos de prisão após contaminação com Clostridium, uma bactéria que causou 16 mortes, segundo um relatório oficial.

Destaque

No items found.

6galeria

Ylson Menezes

Repórter

Ylson Menezes é poeta. Amante de leitura e de escrita, é também aspirante a jornalista.

Cerca de Sete pessoas morreram, nesse domingo, numa aldeia no centro da Costa do Marfim, perto de Bouaké, onde outras 59 foram hospitalizadas, devido a uma doença de origem ainda desconhecida.

Das sete mortes, cinco ocorreram no Hospital Universitário de Bouaké e duas em Niangban, uma aldeia localizada a cerca de trinta quilómetros a sul, disse uma fonte hospitalar.

“Temos um total de 59 pessoas internadas” no Hospital Universitário de Bouaké, “na sua maioria crianças e alguns adolescentes” , acrescentou esta fonte, precisando que os sintomas da doença são “vómitos” e “diarreias” .

O chefe da aldeia de Niangban, Emmanuel Kouamé N'Guessan, informou que 50 pessoas estavam “no Hospital Universitário de Bouaké” . No domingo, uma auxiliar de enfermagem informou-o de que as crianças estavam “morrendo ”. Também, um amigo próximo do chef Célestin Kouadio Koffi  indicou que, segundo rumores, o mingau de milho foi o causador da contaminação .

Zitanick Amoin Yao, mãe da primeira vítima, afirmou ter comprado mingau que deu ao filho. “Depois de uma vontade de ir à casa de banho, ele começou a vomitar quando lhe dei o remédio que me foi dado no hospital de Djébonouan. Voltámos ao hospital e disseram-nos para irmos ao Hospital Universitário de Bouaké, onde ele morreu aos três anos ”, contou.

Por outro, Agnès Aya Konan, que também perdeu a filha, recusa-se a acusar o vendedor, indicando, no entanto, que os seus filhos comeram o mesmo "mingau" no domingo.

Segundo recorda o portal Africa News, em Fevereiro, na aldeia de Kpo-Kahankro, também perto de Bouaké , duas pessoas foram condenadas a cinco anos de prisão após contaminação com Clostridium, uma bactéria que causou 16 mortes, segundo um relatório oficial.

6galeria

Artigos relacionados

No items found.
Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form