Actualidade
Financiamento

BNI abre diariamente 30 contas bancárias para atribuição do financiamento aos agricultores

BNI abre diariamente 30 contas bancárias para atribuição do financiamento aos agricultores
Foto por:
vídeo por:
DR

Cerca de 30 contas bancárias são abertas todos os dias no banco BNI para que os agricultores tenham acesso ao crédito e possam implementar os seus projectos na província do Huambo, informou em comunicado a instituição.

De acordo com o documento, a que tivemos acesso, mais de 150 milhões de kwanzas é o valor já disponibilizado a uma parte dos 412 agricultores da província do Huambo, que aderiram ao projecto de financiamento da produção de milho financiado pela Facilcred, cujo valor total é de 329 milhões de kwanzas.

Para que os agricultores possam ter acesso ao financiamento, é necessária a abertura de uma conta bancária, esclarece o BNI, parceiro da Facilcred neste âmbito, realçando que estão a ser concluídos diariamente 30 processos de abertura de conta, o que significa que dentro em breve todos os agricultores estarão em condições de receber o financiamento que lhes foi atribuído e darem início aos seus projectos.

“O Banco BNI tem um compromisso nacional primordial na sua estratégia bancária com esta parceria com a Facilcred, contribundo activamente para a diversificação da economia e para a descentralização da produção, através do incentivo ao empreendedorismo regional”, sublinha fonte da Administração do BNI, que considera o Huambo uma província onde a agricultura tem história e, a instituição, em conjunto, quer contribuir para o renascer deste potencial, com um índice de bancarização crescente, com a criação de emprego e com a melhoria das condições de vida das populações locais.

Segundo responsáveis da Facilcred, este financiamento vai, sobretudo, beneficiar agricultores organizados em cooperativas, que vão desenvolver as suasactividades numa área de 539 hectares nos Municípios do Londuimbale, Bailundo, Huambo, Caála, Ekunha, Longongo, Catchiungo e Tchicala-Tcholoanga.

Para além do acesso ao crédito, estes agricultores vão também beneficiar de um kit que inclui insumos agrícolas, uma acção de formação sobre novas técnicas de produção de milho, assistência técnica e monitorização por satélite dos campos cultivados.

Posteriormente, continuarão a ser apoiados durante o processo de escoamento e venda dos produtos, avança o comunicado.

6galeria

Andrade Lino

Jornalista

Estudante de Língua Portuguesa e Comunicação, amante de artes visuais, música e poesia.

Cerca de 30 contas bancárias são abertas todos os dias no banco BNI para que os agricultores tenham acesso ao crédito e possam implementar os seus projectos na província do Huambo, informou em comunicado a instituição.

De acordo com o documento, a que tivemos acesso, mais de 150 milhões de kwanzas é o valor já disponibilizado a uma parte dos 412 agricultores da província do Huambo, que aderiram ao projecto de financiamento da produção de milho financiado pela Facilcred, cujo valor total é de 329 milhões de kwanzas.

Para que os agricultores possam ter acesso ao financiamento, é necessária a abertura de uma conta bancária, esclarece o BNI, parceiro da Facilcred neste âmbito, realçando que estão a ser concluídos diariamente 30 processos de abertura de conta, o que significa que dentro em breve todos os agricultores estarão em condições de receber o financiamento que lhes foi atribuído e darem início aos seus projectos.

“O Banco BNI tem um compromisso nacional primordial na sua estratégia bancária com esta parceria com a Facilcred, contribundo activamente para a diversificação da economia e para a descentralização da produção, através do incentivo ao empreendedorismo regional”, sublinha fonte da Administração do BNI, que considera o Huambo uma província onde a agricultura tem história e, a instituição, em conjunto, quer contribuir para o renascer deste potencial, com um índice de bancarização crescente, com a criação de emprego e com a melhoria das condições de vida das populações locais.

Segundo responsáveis da Facilcred, este financiamento vai, sobretudo, beneficiar agricultores organizados em cooperativas, que vão desenvolver as suasactividades numa área de 539 hectares nos Municípios do Londuimbale, Bailundo, Huambo, Caála, Ekunha, Longongo, Catchiungo e Tchicala-Tcholoanga.

Para além do acesso ao crédito, estes agricultores vão também beneficiar de um kit que inclui insumos agrícolas, uma acção de formação sobre novas técnicas de produção de milho, assistência técnica e monitorização por satélite dos campos cultivados.

Posteriormente, continuarão a ser apoiados durante o processo de escoamento e venda dos produtos, avança o comunicado.

6galeria

Artigos relacionados

Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form