Actualidade
Ambiente

Angola cumpre desafio e atinge meta de plantação de um milhão de mangues

Angola cumpre desafio e atinge meta de plantação de um milhão de mangues
Foto por:
vídeo por:
Cedidas

Angola atingiu, com os cerca de 50 mil mangues plantados nesta terça-feira última, no Quilómetro 26, comuna do Ramiro, a meta de plantação um milhão de mangues, no âmbito de uma ampla campanha de reflorestamento das zonas de mangais em toda a orla costeira angolana.

O desafio foi lançado à sociedade angolana pelo Vice-Presidente da República, Bornito de Sousa, durante o primeiro Workshop sobre Zonas Húmidas de Interesse Internacional, por ocasião do Dia Nacional do Ambiente, a 2 de Fevereiro.

Posteriormente, o dirigente angolano voltou a fazê-lo, desta vez durante a Conferência sobre o Reforço dos Compromissos Políticos para a Melhoria e Conservação dos Mangais em África, iniciativa co-organizada pela União Africana e Governo Angolano, no quadro da celebração do Dia Africano do Ambiente e Dia de Wangari Maathai.

Apesar da chuva que caiu logo pela manhã de terça-feira, os mais 200 voluntários mobilizados pela Otchiva estavam determinados a realizar o feito, e fizeram-no. "Para chegarmos a um milhão faltavam cerca de 30 mil, mas chegamos às 48 mil mangues plantados apenas hoje. Cumprimos. Estamos de parabéns, Angola está de parabéns", declarou, entusiasmado, Pedro Jorge, um voluntário, citado na nota partilhada com o ONgoma News.

Durante meses, narra o documento, foram realizadas várias campanhas em Luanda, Bengo, Benguela, Cabinda e Zaire, envolvendo entidades públicas e privadas, voluntários, organizações nacionais, com destaque para a Associação Otchiva, que tem estado a liderar o processo mobilizando da sociedade civil e parceiros.

O posicionamento das autoridades angolanas face às questões climáticas, em particular os ecossistemas de mangais, tem servido de exemplo e inspiração para outras lideranças africanas e para o mundo inteiro, conforme referiu a União Africana.

Como expressão do reconhecimento do processo em Angola, recentemente, o Presidente da República, João Lourenço, foi distinguido com um prémio pela sua dedicação às questões de defesa do Ambiente, em Washington, Estados Unidos da América, durante a Gala anual da International Conservation Caucus Foundation (ICCF).

A 23 de Outubro último, cita igualmente a nota, o Presidente João Lourenço, acompanhado da Primeira-Dama, Ana Dias Lourenço, participou numa campanha de plantação de mangues, no mesmo dia em que testemunhou a assinatura do acordo entre a Sonangol e a Organização Otchiva para o projecto "Sonangol Carbono Azul", que tem impulsionado a restauração dos mangais com o envolvimento das comunidades locais.

6galeria

Redacção

Angola atingiu, com os cerca de 50 mil mangues plantados nesta terça-feira última, no Quilómetro 26, comuna do Ramiro, a meta de plantação um milhão de mangues, no âmbito de uma ampla campanha de reflorestamento das zonas de mangais em toda a orla costeira angolana.

O desafio foi lançado à sociedade angolana pelo Vice-Presidente da República, Bornito de Sousa, durante o primeiro Workshop sobre Zonas Húmidas de Interesse Internacional, por ocasião do Dia Nacional do Ambiente, a 2 de Fevereiro.

Posteriormente, o dirigente angolano voltou a fazê-lo, desta vez durante a Conferência sobre o Reforço dos Compromissos Políticos para a Melhoria e Conservação dos Mangais em África, iniciativa co-organizada pela União Africana e Governo Angolano, no quadro da celebração do Dia Africano do Ambiente e Dia de Wangari Maathai.

Apesar da chuva que caiu logo pela manhã de terça-feira, os mais 200 voluntários mobilizados pela Otchiva estavam determinados a realizar o feito, e fizeram-no. "Para chegarmos a um milhão faltavam cerca de 30 mil, mas chegamos às 48 mil mangues plantados apenas hoje. Cumprimos. Estamos de parabéns, Angola está de parabéns", declarou, entusiasmado, Pedro Jorge, um voluntário, citado na nota partilhada com o ONgoma News.

Durante meses, narra o documento, foram realizadas várias campanhas em Luanda, Bengo, Benguela, Cabinda e Zaire, envolvendo entidades públicas e privadas, voluntários, organizações nacionais, com destaque para a Associação Otchiva, que tem estado a liderar o processo mobilizando da sociedade civil e parceiros.

O posicionamento das autoridades angolanas face às questões climáticas, em particular os ecossistemas de mangais, tem servido de exemplo e inspiração para outras lideranças africanas e para o mundo inteiro, conforme referiu a União Africana.

Como expressão do reconhecimento do processo em Angola, recentemente, o Presidente da República, João Lourenço, foi distinguido com um prémio pela sua dedicação às questões de defesa do Ambiente, em Washington, Estados Unidos da América, durante a Gala anual da International Conservation Caucus Foundation (ICCF).

A 23 de Outubro último, cita igualmente a nota, o Presidente João Lourenço, acompanhado da Primeira-Dama, Ana Dias Lourenço, participou numa campanha de plantação de mangues, no mesmo dia em que testemunhou a assinatura do acordo entre a Sonangol e a Organização Otchiva para o projecto "Sonangol Carbono Azul", que tem impulsionado a restauração dos mangais com o envolvimento das comunidades locais.

6galeria

Artigos relacionados

Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form