Sociedade
Responsabilização

Américo Boavida suspende médico que negou assistência médica a paciente

Américo Boavida suspende médico que negou assistência médica a paciente
Foto por:
vídeo por:
DR

A direcção do Hospital Américo Boavida anunciou ontem a suspensão do médico que alegadamente negou assistência médica a um paciente à entrada da unidade sanitária, sendo ainda que o mesmo não não informou nem a equipa médica com quem trabalhava nem a direcção do hospital.

O director-geral do hospital, Mário Fernandes, que falava à imprensa para esclarecer o caso, sem mencionar o nome do profissional envolvido, adiantou que o mesmo já se encontra a contas com o Serviço de Investigação Criminal (SIC) e espera  que o caso seja esclarecido o mais rápido possível.

"Esperamos que o SIC e a Ordem dos Médicos Angolanos trabalhem para esclarecer e entender a atitude do médico em serviço", disse o responsável.

Recorde-se que o paciente, de 25 anos, cujo caso ganhou repercussão por causa de um vídeo posto a circular nas redes sociais, acabou por morrer na entrada do hospital.

Por sua vez, o secretário de Estado para a Saúde Pública, Pinto de Sousa, que reprovou o acto, afirmou que a atitude não tem nada a ver com a alegada reestruturação do hospital, mas confirmou que o estabelecimento está sim em obras,  embora isso não impessa que os pacientes recebam os primeiros socorros dentro da unidade hospitalar.

De recordar que no vídeo, publicado nas redes sociais, a mãe do malogrado afirma que o filho começou a fazer febres repentinamente, o que fez com que fosse socorrido pelos vizinhos até ao hospital onde acabou por falecer.

"Nos mandaram levar o nosso doente para o `Maria Pia`, apenas isso, mas não nos deram ambulância e mandaram-nos procurar carro", contou a mulher em lágrimas, como recordou a Angop.

Destaque

No items found.

6galeria

Ylson Menezes

Repórter

Ylson Menezes é poeta. Amante de leitura e de escrita, é também aspirante a jornalista.

A direcção do Hospital Américo Boavida anunciou ontem a suspensão do médico que alegadamente negou assistência médica a um paciente à entrada da unidade sanitária, sendo ainda que o mesmo não não informou nem a equipa médica com quem trabalhava nem a direcção do hospital.

O director-geral do hospital, Mário Fernandes, que falava à imprensa para esclarecer o caso, sem mencionar o nome do profissional envolvido, adiantou que o mesmo já se encontra a contas com o Serviço de Investigação Criminal (SIC) e espera  que o caso seja esclarecido o mais rápido possível.

"Esperamos que o SIC e a Ordem dos Médicos Angolanos trabalhem para esclarecer e entender a atitude do médico em serviço", disse o responsável.

Recorde-se que o paciente, de 25 anos, cujo caso ganhou repercussão por causa de um vídeo posto a circular nas redes sociais, acabou por morrer na entrada do hospital.

Por sua vez, o secretário de Estado para a Saúde Pública, Pinto de Sousa, que reprovou o acto, afirmou que a atitude não tem nada a ver com a alegada reestruturação do hospital, mas confirmou que o estabelecimento está sim em obras,  embora isso não impessa que os pacientes recebam os primeiros socorros dentro da unidade hospitalar.

De recordar que no vídeo, publicado nas redes sociais, a mãe do malogrado afirma que o filho começou a fazer febres repentinamente, o que fez com que fosse socorrido pelos vizinhos até ao hospital onde acabou por falecer.

"Nos mandaram levar o nosso doente para o `Maria Pia`, apenas isso, mas não nos deram ambulância e mandaram-nos procurar carro", contou a mulher em lágrimas, como recordou a Angop.

6galeria

Artigos relacionados

No items found.
Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form