Arte e Cultura
Debate

Workshop sobre empreendedorismo cultural tem lugar no Palácio de Ferro

Workshop sobre empreendedorismo cultural tem lugar no Palácio de Ferro
Foto por:
vídeo por:
Cedidas

Um debate sob o tema “Geração da economia através da criatividade” vai nortear o workshop sobre empreendedorismo cultural, que acontece no Palácio de Ferro, na baixa de Luanda, esse Sábado, dia 24, das 9h30 às 12 horas, sob égide da Academia Produza.

A iniciativa vai juntar os artistas Totó St, Gersy Pegado, Sophia Buco e os gestores culturais Rui Last-Man e João Vigário numa mesa, onde vão trazer à tona os desafios dos negócios na área criativa e discorrerão sobre os vários segmentos artísticos, nomeadamente a música, a dança, o teatro e o design.

Esta reflexão, segundo a organização, surge numa altura em que o mundo reconhece, cada vez mais, as indústrias culturais e criativas como sendo sectores de grande potencial para o desenvolvimento das nações.

“Prova disto é que o ano de 2021 foi declarado como o Ano Internacional da Economia Criativa ao serviço do desenvolvimento sustentável”, lê-se na nota que recebemos.

O workshop sobre empreendedorismo cultural, refira-se, é promovido no âmbito do programa de fomento ao “Diálogo sobre Economia Criativa”, criado pela NAKENIS.08, para potenciar o surgimento de novos modelos de negócios no sector cultural.

6galeria

Andrade Lino

Jornalista

Estudante de Língua Portuguesa e Comunicação, amante de artes visuais, música e poesia.

Um debate sob o tema “Geração da economia através da criatividade” vai nortear o workshop sobre empreendedorismo cultural, que acontece no Palácio de Ferro, na baixa de Luanda, esse Sábado, dia 24, das 9h30 às 12 horas, sob égide da Academia Produza.

A iniciativa vai juntar os artistas Totó St, Gersy Pegado, Sophia Buco e os gestores culturais Rui Last-Man e João Vigário numa mesa, onde vão trazer à tona os desafios dos negócios na área criativa e discorrerão sobre os vários segmentos artísticos, nomeadamente a música, a dança, o teatro e o design.

Esta reflexão, segundo a organização, surge numa altura em que o mundo reconhece, cada vez mais, as indústrias culturais e criativas como sendo sectores de grande potencial para o desenvolvimento das nações.

“Prova disto é que o ano de 2021 foi declarado como o Ano Internacional da Economia Criativa ao serviço do desenvolvimento sustentável”, lê-se na nota que recebemos.

O workshop sobre empreendedorismo cultural, refira-se, é promovido no âmbito do programa de fomento ao “Diálogo sobre Economia Criativa”, criado pela NAKENIS.08, para potenciar o surgimento de novos modelos de negócios no sector cultural.

6galeria

Artigos relacionados

Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form