Ciência & Tecnologia
Inclusão Social

Speed-dating com start-ups que tornam a vida das pessoas com deficiência mais fácil

Speed-dating com start-ups que tornam a vida das pessoas com deficiência mais fácil
Foto por:
vídeo por:
DR

Há seis anos, a organização israelita sem fins lucrativos Access Israel, fundada em 1999, promove o Congresso Internacional Access Israel, sobre acessibilidades e inclusão de pessoas com deficiência e idosos. Este ano, o evento teve lugar no dia 29 de Abril, em Tel Aviv, e reuniu centenas de pessoas, organizações internacionais e empresas que actuam no sector das acessibilidades, e que, além de apresentar soluções serviços e soluções tecnológicas para um mundo mais inclusivo, reflectiram à volta dos principais desafios que ainda são enfrentados neste domínio.

Actualmente, cerca de 10% da população, ou seja, 650 milhões de pessoas, vivem com uma deficiência. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), este número está a aumentar, devido ao crescimento demográfico e ao processo natural de envelhecimento da população, daí que, nos países onde a esperança de vida é superior a 70 anos, estima-se que cada indivíduo viva com uma deficiência em média 8 anos, isto é, 11,5% da sua existência.

Há mais: 80% das pessoas com deficiência vivem nos países em desenvolvimento, segundo o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), enquanto nos países membros da Organização de Cooperação e de Desenvolvimento Económicos (OCDE), segundo o Secretariado desta organização, a proporção das pessoas com deficiência é nitidamente mais elevada nos grupos com menos instrução. Em média, 19% das pessoas menos instruídas têm uma deficiência, em comparação com 11% das mais instruídas.

Para responder às necessidades desta população, várias organizações, entre filantrópicas e comerciais, apresentam ao mercado, anualmente, várias soluções. O ONgoma News, que participou da sexta edição do Access Israel a convite da Embaixada de Israel em Angola, teve um speed-dating com algumas delas, muitas oriundas desse país, onde 18% da população, equivalente a mais de 1,6 milhão de habitantes, são pessoas com deficiência. 

1.       User Accessibility: através do seu applicativo ANDI PRO, essa startup israelita permite que os usuários da internet ajustem as páginas sem interferir no código, nomeadamente mudando a cor do fundo, aumentando o tamanho da letra e mudando o tipo. O plugin é gratuito e cria uniformidade no nível de acessibilidade nos vários sites, além de permitir a leitura do conteúdo.

2.       6degrees: criada e co-fundada por Aryeh Katz, engenheiro eléctrico e veterano com deficiência, e Miri Berger, designer industrial, é uma start-up jovem e inovadora que surgiu com o objectivo principal de melhorar a qualidade de vida de soldados que voltavam a casa feridos. Usando tecnologia patenteada, a start-up espera mudar a qualidade de vida de indivíduos que sofrem de deficiência do membro superior resultante de acidente vascular cerebral, paralisia ou amputação, através do seu dispositivo que permite o manuseio de telemóveis e computadores sem usar as mãos.

3.       FREEWill: oferece aos usuários de cadeira de rodas uma mobilidade independente enquanto transportam coisas adicionais. A cadeira de rodas moderna parece criar um quotidiano independente para os usuários, mas no momento em que eles têm que usar as mãos para carregar sacolas, mantimentos, malas ou empurrar um carrinho de bebê, deixa de ser um meio de fácil utilização, daí que essa startup criou Easy Stroll Universal Connector, um dispositivo de conexão simples e rápida entre uma cadeira de rodas e um carrinho de bebê.

4.       Equal Web – Digital Accessibility: ao tomar consciência de que 15% da população mundial não consegue aceder à internet por alguma deficiência, principalmente visual, essa start-up israelita desenvolveu uma nova tecnologia que oferece uma solução de acessibilidade de ponta que pode ser implantada de modo fácil e imediato, em cumprimento do padrão WCAG 2.1 de acessibilidade internacional. A solução permite que pessoas com deficiências usem e compreendam melhor os documentos em formato PDF usando dispositivos como leitores de tela, ampliadores de tela e muito mais. Os serviços da Equal Web permitem ainda monitorar se o site do cliente está acessível o tempo todo para os usuários, verificando a conformidade com os padrões internacionais.

5.       Yoocan: pode ser considera um agregador de conteúdos e serviços sobre e para pessoas com deficiência. Os seus fundadores acreditam que as experiências e conhecimentos compartilhados de todo o mundo podem inspirar as pessoas com deficiências e mudar suas vidas, para que ninguém se sinta sozinho. Além disso, a start-up é também uma plataforma formação sobre questões de acessibilidade e vendas online.

6.       SpeechCode: oferece uma tecnologia de informação inovadora que apoia a segurança do produto, a inclusão social e a internacionalização linguística. O seu software Speech Code Generator transforma qualquer informação em um código de dados colorido e imprimível, que armazena todo o conteúdo em um espaço muito pequeno. O código é escaneado com o aplicativo gratuito Speech Code App, decodificado e imediatamente apresentado com 100% de precisão - sem acesso à Internet ou download - como texto na tela do smartphone e / ou em formato audível por meio da tecnologia “text-to-speech”, o que permite, por exemplo, que pessoas invisuais possam ter acesso a essa informação.

7.       RightHear: oferece um serviço que permite que, ao entrar num ponto onde a sua tecnologia está acessível, as pessoas invisuais recebam uma notificação da sua localização, através de orientação por áudio. O sistema é alimentado por pequenos sensores inteligentes e auto-alimentados, sendo que o seu painel inteligente e fácil de usar permite editar o conteúdo e rastrear o uso. De resto, RightHear é tecnologia que permite que os cegos e deficientes tenham independência e privacidade.

8.       Orcam: fundada em 2010, é uma empresa líder no sistema de prevenção de colisões e oferece uma solução inovadora para direcção autónoma. O dispositivo OrCam MyEye original foi lançado em 2015 e a geração mais recente, OrCam MyEye 2.0, foi lançada em 2017. A missão da OrCam é aproveitar o poder da visão artificial, incorporando tecnologia pioneira em uma plataforma ajustada aos óculos e que melhore a vida de indivíduos cegos, deficientes visuais e com dificuldades de leitura.

9.       Wheelmap: é ummapa on-line de mostra os lugares acessíveis para cadeiras de rodas. Nasceu na Alemanha, e actualmente conta com vagas para deficientes do Parkopedia, o fornecedor líder mundial de serviços de estacionamento digital. Os dados de Parkopedia são usados ​​pela Audi, BMW, Daimler, Ford, Toyota, Volvo e VW, mas também pela Apple Maps, Garmin, Here, TomTom e muito mais.

6galeria

Sebastião Vemba

Fundador e Director Editorial do ONgoma News

Jornalista, apaixonado pela escrita, fotografia e artes visuais. Tem interesses nas novas medias, formação e desenvolvimento comunitário.

Há seis anos, a organização israelita sem fins lucrativos Access Israel, fundada em 1999, promove o Congresso Internacional Access Israel, sobre acessibilidades e inclusão de pessoas com deficiência e idosos. Este ano, o evento teve lugar no dia 29 de Abril, em Tel Aviv, e reuniu centenas de pessoas, organizações internacionais e empresas que actuam no sector das acessibilidades, e que, além de apresentar soluções serviços e soluções tecnológicas para um mundo mais inclusivo, reflectiram à volta dos principais desafios que ainda são enfrentados neste domínio.

Actualmente, cerca de 10% da população, ou seja, 650 milhões de pessoas, vivem com uma deficiência. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), este número está a aumentar, devido ao crescimento demográfico e ao processo natural de envelhecimento da população, daí que, nos países onde a esperança de vida é superior a 70 anos, estima-se que cada indivíduo viva com uma deficiência em média 8 anos, isto é, 11,5% da sua existência.

Há mais: 80% das pessoas com deficiência vivem nos países em desenvolvimento, segundo o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), enquanto nos países membros da Organização de Cooperação e de Desenvolvimento Económicos (OCDE), segundo o Secretariado desta organização, a proporção das pessoas com deficiência é nitidamente mais elevada nos grupos com menos instrução. Em média, 19% das pessoas menos instruídas têm uma deficiência, em comparação com 11% das mais instruídas.

Para responder às necessidades desta população, várias organizações, entre filantrópicas e comerciais, apresentam ao mercado, anualmente, várias soluções. O ONgoma News, que participou da sexta edição do Access Israel a convite da Embaixada de Israel em Angola, teve um speed-dating com algumas delas, muitas oriundas desse país, onde 18% da população, equivalente a mais de 1,6 milhão de habitantes, são pessoas com deficiência. 

1.       User Accessibility: através do seu applicativo ANDI PRO, essa startup israelita permite que os usuários da internet ajustem as páginas sem interferir no código, nomeadamente mudando a cor do fundo, aumentando o tamanho da letra e mudando o tipo. O plugin é gratuito e cria uniformidade no nível de acessibilidade nos vários sites, além de permitir a leitura do conteúdo.

2.       6degrees: criada e co-fundada por Aryeh Katz, engenheiro eléctrico e veterano com deficiência, e Miri Berger, designer industrial, é uma start-up jovem e inovadora que surgiu com o objectivo principal de melhorar a qualidade de vida de soldados que voltavam a casa feridos. Usando tecnologia patenteada, a start-up espera mudar a qualidade de vida de indivíduos que sofrem de deficiência do membro superior resultante de acidente vascular cerebral, paralisia ou amputação, através do seu dispositivo que permite o manuseio de telemóveis e computadores sem usar as mãos.

3.       FREEWill: oferece aos usuários de cadeira de rodas uma mobilidade independente enquanto transportam coisas adicionais. A cadeira de rodas moderna parece criar um quotidiano independente para os usuários, mas no momento em que eles têm que usar as mãos para carregar sacolas, mantimentos, malas ou empurrar um carrinho de bebê, deixa de ser um meio de fácil utilização, daí que essa startup criou Easy Stroll Universal Connector, um dispositivo de conexão simples e rápida entre uma cadeira de rodas e um carrinho de bebê.

4.       Equal Web – Digital Accessibility: ao tomar consciência de que 15% da população mundial não consegue aceder à internet por alguma deficiência, principalmente visual, essa start-up israelita desenvolveu uma nova tecnologia que oferece uma solução de acessibilidade de ponta que pode ser implantada de modo fácil e imediato, em cumprimento do padrão WCAG 2.1 de acessibilidade internacional. A solução permite que pessoas com deficiências usem e compreendam melhor os documentos em formato PDF usando dispositivos como leitores de tela, ampliadores de tela e muito mais. Os serviços da Equal Web permitem ainda monitorar se o site do cliente está acessível o tempo todo para os usuários, verificando a conformidade com os padrões internacionais.

5.       Yoocan: pode ser considera um agregador de conteúdos e serviços sobre e para pessoas com deficiência. Os seus fundadores acreditam que as experiências e conhecimentos compartilhados de todo o mundo podem inspirar as pessoas com deficiências e mudar suas vidas, para que ninguém se sinta sozinho. Além disso, a start-up é também uma plataforma formação sobre questões de acessibilidade e vendas online.

6.       SpeechCode: oferece uma tecnologia de informação inovadora que apoia a segurança do produto, a inclusão social e a internacionalização linguística. O seu software Speech Code Generator transforma qualquer informação em um código de dados colorido e imprimível, que armazena todo o conteúdo em um espaço muito pequeno. O código é escaneado com o aplicativo gratuito Speech Code App, decodificado e imediatamente apresentado com 100% de precisão - sem acesso à Internet ou download - como texto na tela do smartphone e / ou em formato audível por meio da tecnologia “text-to-speech”, o que permite, por exemplo, que pessoas invisuais possam ter acesso a essa informação.

7.       RightHear: oferece um serviço que permite que, ao entrar num ponto onde a sua tecnologia está acessível, as pessoas invisuais recebam uma notificação da sua localização, através de orientação por áudio. O sistema é alimentado por pequenos sensores inteligentes e auto-alimentados, sendo que o seu painel inteligente e fácil de usar permite editar o conteúdo e rastrear o uso. De resto, RightHear é tecnologia que permite que os cegos e deficientes tenham independência e privacidade.

8.       Orcam: fundada em 2010, é uma empresa líder no sistema de prevenção de colisões e oferece uma solução inovadora para direcção autónoma. O dispositivo OrCam MyEye original foi lançado em 2015 e a geração mais recente, OrCam MyEye 2.0, foi lançada em 2017. A missão da OrCam é aproveitar o poder da visão artificial, incorporando tecnologia pioneira em uma plataforma ajustada aos óculos e que melhore a vida de indivíduos cegos, deficientes visuais e com dificuldades de leitura.

9.       Wheelmap: é ummapa on-line de mostra os lugares acessíveis para cadeiras de rodas. Nasceu na Alemanha, e actualmente conta com vagas para deficientes do Parkopedia, o fornecedor líder mundial de serviços de estacionamento digital. Os dados de Parkopedia são usados ​​pela Audi, BMW, Daimler, Ford, Toyota, Volvo e VW, mas também pela Apple Maps, Garmin, Here, TomTom e muito mais.

6galeria

Artigos relacionados

Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form