Desporto
Futebol Adaptado

Selecção Angolana de futebol adaptado perde na final contra a Turquia

Selecção Angolana de futebol adaptado perde na final contra a Turquia
Foto por:
vídeo por:
DR

A Selecção Nacional de futebol para amputados não conseguiu revalidar o título nesse domingo, por perder diante do similar da Turquia por 1-4, no Estádio Galatasaray Nef, na cidade de Istambul, nas finais da XVII edição do Campeonato do Mundo.

Especialistas do desporto consideram que, apesar de ter feito um bom jogo, a equipa nacional foi vítima do trabalho dos juízes Owen Radley e William Chow, que ofereceram um penálti aos turcos e outro golo, quando a bola já tinha ultrapassado totalmente a linha de baliza.

O combinado nacional iniciou melhor o desafio com uma defesa pressionante em todo o terreno de jogo, para impedir as transições rápidas do adversário da defesa para o ataque. O esquema montado pelo técnico Cheto Baptista surtiu alguns efeitos, mas faltou a comunicação entre os jogadores. Fruto desta pressão, o médio ofensivo Heno Guilherme antecipou-se a uma jogada dos turcos e esgueirou-se para área do adversário, mas falhou excelente oportunidade para inaugurar o marcador, lê-se no Jornal de Angola.

Depois desta pressão, numa jogada de contra-ataque, os turcos chegaram ao golo através de Guleryuz Omer, aos 18 minutos, após uma falha dos defensores nacionais, novamente por falta de comunicação.

Com a atenção dos turcos, Cheto Baptista pediu um minuto para ajustar alguns esquemas que não saíam bem, por falta de coordenação colectiva, e na sequência de uma falta, Heno Guilherme igualou com um forte remate forte  sem dar hipótese de defesa ao guarda-redes Çelin Bulent.

No reatamento, Ozcan Rahmi desfez a igualdade depois de um golo de penálti, para castigar uma falta na área de Sebastião Cacumba, tendo sido igualmente o responsável pelo terceiro golo dos turcos, na conclusão de uma assistência de um colega.

Neste período, conta ainda o artigo do Jornal de Angola, os angolanos reataram a partida com alguns furos abaixo, marcada pela falta de coordenação do sector defensivo, que permitiu os movimentos de ataque dos turcos quase sem impedimento, culminando com o dianteiro Dereli Serkas a apontar o quarto e último golo.

A Selecção Nacional, que deixa amanhã a cidade de Istambul, desembarca no dia seguinte, às 10h50, no Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro.

Antes, para a definição do terceiro lugar, o Uzbequistão venceu o Haiti, por 4-2, numa primeira metade marcada pelo equilíbrio, mas na segunda os europeus derrubaram o adversário.

As candidaturas para a próxima edição do Campeonato do Mundo serão lançadas no mês de Janeiro de 2023, soube também o Jornal de Angola de fonte da Federação Internacional de Futebol para Amputados (WAFF), antes do desafio da final no Estádio Galatasaray.

Destaque

No items found.

6galeria

Redacção

A Selecção Nacional de futebol para amputados não conseguiu revalidar o título nesse domingo, por perder diante do similar da Turquia por 1-4, no Estádio Galatasaray Nef, na cidade de Istambul, nas finais da XVII edição do Campeonato do Mundo.

Especialistas do desporto consideram que, apesar de ter feito um bom jogo, a equipa nacional foi vítima do trabalho dos juízes Owen Radley e William Chow, que ofereceram um penálti aos turcos e outro golo, quando a bola já tinha ultrapassado totalmente a linha de baliza.

O combinado nacional iniciou melhor o desafio com uma defesa pressionante em todo o terreno de jogo, para impedir as transições rápidas do adversário da defesa para o ataque. O esquema montado pelo técnico Cheto Baptista surtiu alguns efeitos, mas faltou a comunicação entre os jogadores. Fruto desta pressão, o médio ofensivo Heno Guilherme antecipou-se a uma jogada dos turcos e esgueirou-se para área do adversário, mas falhou excelente oportunidade para inaugurar o marcador, lê-se no Jornal de Angola.

Depois desta pressão, numa jogada de contra-ataque, os turcos chegaram ao golo através de Guleryuz Omer, aos 18 minutos, após uma falha dos defensores nacionais, novamente por falta de comunicação.

Com a atenção dos turcos, Cheto Baptista pediu um minuto para ajustar alguns esquemas que não saíam bem, por falta de coordenação colectiva, e na sequência de uma falta, Heno Guilherme igualou com um forte remate forte  sem dar hipótese de defesa ao guarda-redes Çelin Bulent.

No reatamento, Ozcan Rahmi desfez a igualdade depois de um golo de penálti, para castigar uma falta na área de Sebastião Cacumba, tendo sido igualmente o responsável pelo terceiro golo dos turcos, na conclusão de uma assistência de um colega.

Neste período, conta ainda o artigo do Jornal de Angola, os angolanos reataram a partida com alguns furos abaixo, marcada pela falta de coordenação do sector defensivo, que permitiu os movimentos de ataque dos turcos quase sem impedimento, culminando com o dianteiro Dereli Serkas a apontar o quarto e último golo.

A Selecção Nacional, que deixa amanhã a cidade de Istambul, desembarca no dia seguinte, às 10h50, no Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro.

Antes, para a definição do terceiro lugar, o Uzbequistão venceu o Haiti, por 4-2, numa primeira metade marcada pelo equilíbrio, mas na segunda os europeus derrubaram o adversário.

As candidaturas para a próxima edição do Campeonato do Mundo serão lançadas no mês de Janeiro de 2023, soube também o Jornal de Angola de fonte da Federação Internacional de Futebol para Amputados (WAFF), antes do desafio da final no Estádio Galatasaray.

6galeria

Artigos relacionados

Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form