Sociedade
Responsabilidade Social

Reclusos do Serviço Penitenciário do Cuando Cubango beneficiam de formação profissional

Reclusos do Serviço Penitenciário do Cuando Cubango beneficiam de formação profissional
Foto por:
vídeo por:
DR

180 reclusos, dos 1.531 controlados no Serviço Penitenciário do Cuando Cubango, beneficiaram de formação profissional em diversas áreas, desde 2022 à data presente, de modo a facilitar a sua inserção na sociedade depois de cumprirem as suas penas.

Segundo o director provincial daquele serviço penitenciário, comissário Joaquim Moreira Muambange, que apresentou os dados ontem, no quadro do 44º aniversário desse órgão do Ministério do Interior, trata-se de formação nas áreas de electricidade, mecânica, carpintaria, alvenaria, corte e costura, no âmbito do programa de assistência e reabilitação penitenciária dos cidadãos que se encontram em conflito com a lei.

O responsável explicou que, no domínio da produção agrícola, o órgão focou-se no desbravamento e preparação da terra, lançamento de diversas sementes, numa extensão de 120 hectares, que resultaram na colheita de mais de três toneladas de diversos produtos alimentares, entre cereais e hortícolas, com destaque para o arroz, milho, cebola, tomate, couve e cenoura.

Ainda neste sector, de acordo com o director, perspectiva-se a materialização dos projectos virados para alavancar a produção agrícola em prol do desenvolvimento do sistema penitenciário local, através dos campos das localidades do Bazuca (Menongue) e Masseca, Cuito Cuanavale.

Por seu turno, o delegado do Ministério do Interior e comandante da Polícia Nacional naquela província, comissário José Alberto Chinhama, ressaltou a necessidade contínua da formação profissional dos efectivos do Serviço Penitenciário, bem como dos reclusos.

Citado pela Angop, ressaltou ainda a melhoria das condições das infra-estruturas e meios, bem como a aposta, em grande escala, na produção agrícola, com vista a assegurar a assistência alimentar dos efectivos e da população penal.

6galeria

Redacção

180 reclusos, dos 1.531 controlados no Serviço Penitenciário do Cuando Cubango, beneficiaram de formação profissional em diversas áreas, desde 2022 à data presente, de modo a facilitar a sua inserção na sociedade depois de cumprirem as suas penas.

Segundo o director provincial daquele serviço penitenciário, comissário Joaquim Moreira Muambange, que apresentou os dados ontem, no quadro do 44º aniversário desse órgão do Ministério do Interior, trata-se de formação nas áreas de electricidade, mecânica, carpintaria, alvenaria, corte e costura, no âmbito do programa de assistência e reabilitação penitenciária dos cidadãos que se encontram em conflito com a lei.

O responsável explicou que, no domínio da produção agrícola, o órgão focou-se no desbravamento e preparação da terra, lançamento de diversas sementes, numa extensão de 120 hectares, que resultaram na colheita de mais de três toneladas de diversos produtos alimentares, entre cereais e hortícolas, com destaque para o arroz, milho, cebola, tomate, couve e cenoura.

Ainda neste sector, de acordo com o director, perspectiva-se a materialização dos projectos virados para alavancar a produção agrícola em prol do desenvolvimento do sistema penitenciário local, através dos campos das localidades do Bazuca (Menongue) e Masseca, Cuito Cuanavale.

Por seu turno, o delegado do Ministério do Interior e comandante da Polícia Nacional naquela província, comissário José Alberto Chinhama, ressaltou a necessidade contínua da formação profissional dos efectivos do Serviço Penitenciário, bem como dos reclusos.

Citado pela Angop, ressaltou ainda a melhoria das condições das infra-estruturas e meios, bem como a aposta, em grande escala, na produção agrícola, com vista a assegurar a assistência alimentar dos efectivos e da população penal.

6galeria

Artigos relacionados

Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form