Ciência & Tecnologia
Serviços

Projecto tecnológico promete contribuir para o desenvolvimento e melhoraria do tecido empresarial angolano

Projecto tecnológico promete contribuir para o desenvolvimento e melhoraria do tecido empresarial angolano
Foto por:
vídeo por:
DR

Nasceu em Luanda o Informático de Intervenção Rápida, um projecto que surge para levar tecnologia e inovação aos negócios, contribuir para o desenvolvimento e melhoraria do tecido empresarial angolano e, ao mesmo tempo, gerar oportunidades de formação e emprego para os jovens dos bairros de Luanda.

A Tech By Tech, empresa que criou o Informático de Intervenção Rápida, acredita que a principal habilidade do futuro é saber lidar com a tecnologia.  Nas palavras de Juvenal Lunguenda, CEO e um dos três mentores, “o acesso à tecnologia é um direito fundamental”.

“Sem informação não temos conhecimento. E o conhecimento torna cidadãos mais aptos a ocupar empregos que exigem maiores habilidades e empregos mais qualificados. Acreditamos que a democratização, a inclusão e a literacia digital podem melhorar a qualidade de vida e transformar a realidade das pessoas”, argumentou o responsável, citado na nota partilhada com o ONgoma News.

Essa defesa fundamenta-se com a ideia de que “é inegável que todos nós dependemos da tecnologia. Para aceder ao banco, fazer uma compra, falar com amigos, pedir o jantar, marcar uma consulta, usamos a tecnologia todo o dia. Por outro lado, a competitividade das empresas depende da constante modernização e da aposta na inovação e nas novas tecnologias; os recursos informáticos são por isso uma ferramenta imprescindível para que as empresas atinjam os seus objectivos”.  

A iniciativa defende valores como solidariedade, humanidade, ética, justiça e respeito, pretendendo propagar a inclusão digital em locais de maior vulnerabilidade social, oferecendo soluções àquela parcela da população excluída das oportunidades.  

Com esta veia solidária presente, a Tech By Tech está a desenvolver uma bolsa de emprego e de estágios profissionais, dirigida aos jovens dos bairros, a quem vai dar formação e remunerar enquanto informáticos de Intervenção Rápida.  

A empresa, de acordo com a nota que recebemos, surgiu da vontade de Juvenal Lunguenda, Cerineu Ginga e Helder Cabonde, 3 amigos que se conhecem desde o ensino médio e que se consagraram na Feira Tecnológica do ITEL na categoria de Inclusão Social, com um software para cegos e mudos com o qual foram premiados em Angola, na Alemanha e na China. Aí desenvolveram uma rede social para expatriados, o Waiguofriend.  

Sempre com o objectivo de servir o próximo, este trio angolano tem mais de 10 anos de experiência internacional e um portfolio de projetos que inclui um sistema inteligente de gestão documental (o Gabriela), o CA7S, um Aplicativo de downloads e streaming de música e um sistema de gestão de saúde para clínicas (Sawisa), entre outros.

“Com o Informático de Intervenção Rápida, a Tech by Tech oferece soluções feitas à medida de cada um, de uma forma simples, sem contratos e burocracia. Temos soluções para todas as dimensões, empresas ou particulares”, afirma Juvenal, continuando que a ideia do Informático de Intervenção Rápida é oferecer um serviço sem burocracia ou necessidade de um contrato fixo, onde o cliente paga pelo que foi feito e não precisa ter um vínculo contratual com a Tech By Tech.

O atendimento, disse, também é descomplicado, feito a partir de uma linha de WhatsApp, um call center constituído por técnicos especializados, jovens dos bairros formados pela empresa, evitando assim a dispersão por vários interlocutores até chegar à pessoa certa.

A companhia, ademais, cria e vende produtos tecnológicos, e dispõe de serviços que vão desde o planeamento, manutenção, implementação, fornecimento de equipamentos, desenvolvimento de aplicativos e assistência técnica, entre outros.

Destaque

No items found.

6galeria

Redacção

Nasceu em Luanda o Informático de Intervenção Rápida, um projecto que surge para levar tecnologia e inovação aos negócios, contribuir para o desenvolvimento e melhoraria do tecido empresarial angolano e, ao mesmo tempo, gerar oportunidades de formação e emprego para os jovens dos bairros de Luanda.

A Tech By Tech, empresa que criou o Informático de Intervenção Rápida, acredita que a principal habilidade do futuro é saber lidar com a tecnologia.  Nas palavras de Juvenal Lunguenda, CEO e um dos três mentores, “o acesso à tecnologia é um direito fundamental”.

“Sem informação não temos conhecimento. E o conhecimento torna cidadãos mais aptos a ocupar empregos que exigem maiores habilidades e empregos mais qualificados. Acreditamos que a democratização, a inclusão e a literacia digital podem melhorar a qualidade de vida e transformar a realidade das pessoas”, argumentou o responsável, citado na nota partilhada com o ONgoma News.

Essa defesa fundamenta-se com a ideia de que “é inegável que todos nós dependemos da tecnologia. Para aceder ao banco, fazer uma compra, falar com amigos, pedir o jantar, marcar uma consulta, usamos a tecnologia todo o dia. Por outro lado, a competitividade das empresas depende da constante modernização e da aposta na inovação e nas novas tecnologias; os recursos informáticos são por isso uma ferramenta imprescindível para que as empresas atinjam os seus objectivos”.  

A iniciativa defende valores como solidariedade, humanidade, ética, justiça e respeito, pretendendo propagar a inclusão digital em locais de maior vulnerabilidade social, oferecendo soluções àquela parcela da população excluída das oportunidades.  

Com esta veia solidária presente, a Tech By Tech está a desenvolver uma bolsa de emprego e de estágios profissionais, dirigida aos jovens dos bairros, a quem vai dar formação e remunerar enquanto informáticos de Intervenção Rápida.  

A empresa, de acordo com a nota que recebemos, surgiu da vontade de Juvenal Lunguenda, Cerineu Ginga e Helder Cabonde, 3 amigos que se conhecem desde o ensino médio e que se consagraram na Feira Tecnológica do ITEL na categoria de Inclusão Social, com um software para cegos e mudos com o qual foram premiados em Angola, na Alemanha e na China. Aí desenvolveram uma rede social para expatriados, o Waiguofriend.  

Sempre com o objectivo de servir o próximo, este trio angolano tem mais de 10 anos de experiência internacional e um portfolio de projetos que inclui um sistema inteligente de gestão documental (o Gabriela), o CA7S, um Aplicativo de downloads e streaming de música e um sistema de gestão de saúde para clínicas (Sawisa), entre outros.

“Com o Informático de Intervenção Rápida, a Tech by Tech oferece soluções feitas à medida de cada um, de uma forma simples, sem contratos e burocracia. Temos soluções para todas as dimensões, empresas ou particulares”, afirma Juvenal, continuando que a ideia do Informático de Intervenção Rápida é oferecer um serviço sem burocracia ou necessidade de um contrato fixo, onde o cliente paga pelo que foi feito e não precisa ter um vínculo contratual com a Tech By Tech.

O atendimento, disse, também é descomplicado, feito a partir de uma linha de WhatsApp, um call center constituído por técnicos especializados, jovens dos bairros formados pela empresa, evitando assim a dispersão por vários interlocutores até chegar à pessoa certa.

A companhia, ademais, cria e vende produtos tecnológicos, e dispõe de serviços que vão desde o planeamento, manutenção, implementação, fornecimento de equipamentos, desenvolvimento de aplicativos e assistência técnica, entre outros.

6galeria

Artigos relacionados

Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form