Sociedade
Educação

Projecto aprova mais de 20 professores para trabalharem com crianças com necessidades especiais

Projecto aprova mais de 20 professores para trabalharem com crianças com necessidades especiais
Foto por:
vídeo por:
Cedidas

21 profissionais capacitados e um potencial de multiplicação para duas centenas são alguns dos dados que constam das conclusões do Capacita Angola Benguela (CAB), um projecto resultante duma parceria entre o Banco Económico e o Centro de Desenvolvimento Infantil Kuzola Mona, que visa à melhoria da qualidade de vida de crianças com dificuldades ou distúrbios de desenvolvimento, através da promoção da sua inclusão social e escolar.

O relatório foi apresentado, no passado dia 13, no Complexo Escolar de Ensino Especial nº 1038, local onde o projecto piloto foi desenvolvido e executado.

Com a duração de seis meses, esta iniciativa cumpriu diversas fases, tendo começado com a pesquisa de campo e com a triagem, o que permitiu efectuar o diagnóstico de vinte e duas crianças com necessidades especiais - entre elas o Autismo, Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperactividade (TDAH) e deficiências do foro intelectual e visual. Com as necessidades identificadas, foi feito um trabalho especializado junto de cada uma das crianças, com vista a criar e a melhorar a comunicação, interacção, psicomotricidade, linguagem e escrita de cada uma delas, de acordo com o comunicado enviado ao ONgoma News.

Para além do trabalho a realizar com cada uma das crianças, o CAB tinha ainda como objectivo a capacitação sustentável da equipa pedagógica do Complexo Escolar nos domínios do acolhimento e atendimento pedagógico dos diversos transtornos infantis, para que este trabalho tenha continuidade no futuro imediato. Foram, por isso, leccionadas mais de 85 horas de aulas teórico-práticas aos professores com vista a que adequem os currículos escolares às necessidades subjectivas de cada aluno e, sobretudo, para lhes proporcionar o uso de ferramentas que lhes permitam ser agentes multiplicadores e replicadores do conhecimento noutras escolas inclusivas e similares.

No que diz respeito ao ambiente familiar, mais de quarenta pais foram orientados e aconselhados sobre como lidar com as necessidades específicas dos seus filhos através de sessões na escola e de visitas domiciliárias.

Para Katyana Mil-Homens, Directora Coordenadora de Responsabilidade Social do Banco Económico, “é claro o papel assumido pelo Banco relativamente à responsabilidade que instituições privadas devem ter no desenvolvimento sustentável do país e da sociedade, a par do que é preconizado pelo Executivo, através do Plano Nacional de Desenvolvimento (PND) 2018-2022, e pelos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) 2030”.

A responsável defende que “é importante olharmos para as crianças no presente e garantir a sua inclusão social no futuro, pois está comprovado cientificamente que o maior investimento para uma sociedade ser bem-sucedida economicamente é o investimento na primeira infância”.

O Capacita Angola tem como base o Decreto Presidencial nº 187/17 de 16 de Agosto, referente à Política Nacional de Educação Especial, orientada para a inclusão social e possui três grandes eixos: família, escola e meio social.

No ano de 2019, refere a nota que recebemos, o projecto piloto foi realizado na província de Benguela. O objectivo dos promotores é que em 2020 o projecto seja implementado noutras províncias do país.

6galeria

Redacção

21 profissionais capacitados e um potencial de multiplicação para duas centenas são alguns dos dados que constam das conclusões do Capacita Angola Benguela (CAB), um projecto resultante duma parceria entre o Banco Económico e o Centro de Desenvolvimento Infantil Kuzola Mona, que visa à melhoria da qualidade de vida de crianças com dificuldades ou distúrbios de desenvolvimento, através da promoção da sua inclusão social e escolar.

O relatório foi apresentado, no passado dia 13, no Complexo Escolar de Ensino Especial nº 1038, local onde o projecto piloto foi desenvolvido e executado.

Com a duração de seis meses, esta iniciativa cumpriu diversas fases, tendo começado com a pesquisa de campo e com a triagem, o que permitiu efectuar o diagnóstico de vinte e duas crianças com necessidades especiais - entre elas o Autismo, Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperactividade (TDAH) e deficiências do foro intelectual e visual. Com as necessidades identificadas, foi feito um trabalho especializado junto de cada uma das crianças, com vista a criar e a melhorar a comunicação, interacção, psicomotricidade, linguagem e escrita de cada uma delas, de acordo com o comunicado enviado ao ONgoma News.

Para além do trabalho a realizar com cada uma das crianças, o CAB tinha ainda como objectivo a capacitação sustentável da equipa pedagógica do Complexo Escolar nos domínios do acolhimento e atendimento pedagógico dos diversos transtornos infantis, para que este trabalho tenha continuidade no futuro imediato. Foram, por isso, leccionadas mais de 85 horas de aulas teórico-práticas aos professores com vista a que adequem os currículos escolares às necessidades subjectivas de cada aluno e, sobretudo, para lhes proporcionar o uso de ferramentas que lhes permitam ser agentes multiplicadores e replicadores do conhecimento noutras escolas inclusivas e similares.

No que diz respeito ao ambiente familiar, mais de quarenta pais foram orientados e aconselhados sobre como lidar com as necessidades específicas dos seus filhos através de sessões na escola e de visitas domiciliárias.

Para Katyana Mil-Homens, Directora Coordenadora de Responsabilidade Social do Banco Económico, “é claro o papel assumido pelo Banco relativamente à responsabilidade que instituições privadas devem ter no desenvolvimento sustentável do país e da sociedade, a par do que é preconizado pelo Executivo, através do Plano Nacional de Desenvolvimento (PND) 2018-2022, e pelos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) 2030”.

A responsável defende que “é importante olharmos para as crianças no presente e garantir a sua inclusão social no futuro, pois está comprovado cientificamente que o maior investimento para uma sociedade ser bem-sucedida economicamente é o investimento na primeira infância”.

O Capacita Angola tem como base o Decreto Presidencial nº 187/17 de 16 de Agosto, referente à Política Nacional de Educação Especial, orientada para a inclusão social e possui três grandes eixos: família, escola e meio social.

No ano de 2019, refere a nota que recebemos, o projecto piloto foi realizado na província de Benguela. O objectivo dos promotores é que em 2020 o projecto seja implementado noutras províncias do país.

6galeria

Artigos relacionados

Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form