Actualidade
Infra-Estruturas

Porto do Caio garante operações completas em 2019

Porto do Caio garante operações completas em 2019
Foto por:
vídeo por:
DR

O Porto do Caio, cuja construção ganhou impulso devido ao forte apoio do Governo de Angola, em particular do Ministério dos Transportes e do Governo Provincial de Cabinda, e pelo apoio do Banco de Exportação e Importação da China, vai ter plena capacidade operacional no primeiro trimestre de 2019, um ano antes do previsto, anunciou ontem, num comunicado de imprensa que recebemos.

De acordo com aquele comunicado, o porto de águas profundas registou um progresso significativo no cronograma de construção, garantindo que as operações completas possam começar no primeiro trimestre de 2019, antes do período previsto, e uma vez totalmente operacional, aumentará a capacidade de movimentação de carga, tornando as exportações muito mais fáceis e rentáveis, sendo ainda que deverá aumentar o comércio em pelo menos 30% e criará cerca de 1.600 empregos directos.

Reconhecendo o apoio do Governo e do sector privado neste mega projecto, Jean-Claude Bastos de Morais, principal accionista do Porto de Caio, comentou, citado no documento, que as grandes necessidades de infra-estrutura em África podem ser abordadas ao adoptar o modelo PPP (Parceria Público-Privada), o que ajudará a atrair mais investimento privado em sectores como portos, estradas e rodovias.

“Estamos ansiosos para explorar mais oportunidades de desenvolvimento com os governos em todo o continente e continuaremos a desempenhar um papel importante na transformação do modelo económico africano, onde a diversificação económica, o crescimento económico e o emprego sustentável tornam-se uma realidade neste curto prazo, proporcionando benefícios significativos para os africanos”, manifesta.

Refira-se que a  China Road and Bridge Company (CRBC) foi contratada para construir as instalações portuárias e empregou mão-de- obra local para realizar esta empreitada, criando empregos para os angolanos. Entretanto, sendo a primeira parceria público-privada desta natureza em Angola, o Porto representa uma mudança na forma de investir no crescimento económico do país a longo prazo e terá um impacto positivo entre os angolanos e a região.

Uma vez concluído, refere ainda o documento, o Porto do Caio será uma importante porta de entrada comercial entre Angola e o resto de África, tornando-se um motor para o crescimento económico, melhoria do padrão de vida, e a criação de oportunidades económicas.

A ideia e gestão do projecto do porto de águas profundas começou em 2007. Após um período de investimento de cinco anos, a empresa de gestão (CaioPorto SA) recebeu uma concessão que incluiu o projecto, financiamento, construção, operação e manutenção do Porto. Al´´em disso, estudos de viabilidade foram realizados e os custos preliminares foram investidos no projecto para construir um melhor porto de águas profundas e actuar como um catalizador, com o objectivo de aumentar a prosperidade económica para todas as partes interessadas.

O Porto do Caio, actualmente em construção, é um investimento que representa uma mudança significativa nas capacidades de transporte e logística do país, posicionando Angola como a nova porta da costa oeste no continente africano.

6galeria

Andrade Lino

Jornalista

Estudante de Língua Portuguesa e Comunicação, amante de artes visuais, música e poesia.

O Porto do Caio, cuja construção ganhou impulso devido ao forte apoio do Governo de Angola, em particular do Ministério dos Transportes e do Governo Provincial de Cabinda, e pelo apoio do Banco de Exportação e Importação da China, vai ter plena capacidade operacional no primeiro trimestre de 2019, um ano antes do previsto, anunciou ontem, num comunicado de imprensa que recebemos.

De acordo com aquele comunicado, o porto de águas profundas registou um progresso significativo no cronograma de construção, garantindo que as operações completas possam começar no primeiro trimestre de 2019, antes do período previsto, e uma vez totalmente operacional, aumentará a capacidade de movimentação de carga, tornando as exportações muito mais fáceis e rentáveis, sendo ainda que deverá aumentar o comércio em pelo menos 30% e criará cerca de 1.600 empregos directos.

Reconhecendo o apoio do Governo e do sector privado neste mega projecto, Jean-Claude Bastos de Morais, principal accionista do Porto de Caio, comentou, citado no documento, que as grandes necessidades de infra-estrutura em África podem ser abordadas ao adoptar o modelo PPP (Parceria Público-Privada), o que ajudará a atrair mais investimento privado em sectores como portos, estradas e rodovias.

“Estamos ansiosos para explorar mais oportunidades de desenvolvimento com os governos em todo o continente e continuaremos a desempenhar um papel importante na transformação do modelo económico africano, onde a diversificação económica, o crescimento económico e o emprego sustentável tornam-se uma realidade neste curto prazo, proporcionando benefícios significativos para os africanos”, manifesta.

Refira-se que a  China Road and Bridge Company (CRBC) foi contratada para construir as instalações portuárias e empregou mão-de- obra local para realizar esta empreitada, criando empregos para os angolanos. Entretanto, sendo a primeira parceria público-privada desta natureza em Angola, o Porto representa uma mudança na forma de investir no crescimento económico do país a longo prazo e terá um impacto positivo entre os angolanos e a região.

Uma vez concluído, refere ainda o documento, o Porto do Caio será uma importante porta de entrada comercial entre Angola e o resto de África, tornando-se um motor para o crescimento económico, melhoria do padrão de vida, e a criação de oportunidades económicas.

A ideia e gestão do projecto do porto de águas profundas começou em 2007. Após um período de investimento de cinco anos, a empresa de gestão (CaioPorto SA) recebeu uma concessão que incluiu o projecto, financiamento, construção, operação e manutenção do Porto. Al´´em disso, estudos de viabilidade foram realizados e os custos preliminares foram investidos no projecto para construir um melhor porto de águas profundas e actuar como um catalizador, com o objectivo de aumentar a prosperidade económica para todas as partes interessadas.

O Porto do Caio, actualmente em construção, é um investimento que representa uma mudança significativa nas capacidades de transporte e logística do país, posicionando Angola como a nova porta da costa oeste no continente africano.

6galeria

Artigos relacionados

Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form