Actualidade
Acordo

Petrolíferas pretendem dinamizar a produção de energias renováveis

Petrolíferas pretendem dinamizar a produção de energias renováveis
Foto por:
vídeo por:
DR

A Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANPG) assinou, recentemente, com a Eni Angola e a Sonangol, E.P., um memorando de entendimento que visa dinamizar a produção de energias renováveis e em simultâneo impulsionar a transição energética do país para fontes consideradas mais amigas do ambiente.

O acto, de acordo com a nota partilhada com o ONgoma News, prevê a implementação de iniciativas conjuntas para o desenvolvimento de projectos no sector dos agro-biocombustíveis, com vista à diversificação das fontes de energia produzidas em Angola.

Na ocasião, o ministro dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás disse que este memorando se enquadra no âmbito da estratégia nacional, que estabelece a visão dos princípios orientadores para a produção de biocombustíveis em Angola, em linha com os compromissos assumidos internacionalmente, e com vista a uma transição energética alinhada com as melhores práticas internacionais.

“O sector do petróleo e gás dá um importante passo rumo à descarbonização e à transição energética em Angola com a assinatura deste memorando de entendimento, para o estudo e implementação de iniciativas conjuntas, capazes de contribuir para o desenvolvimento do sector dos agro-biocombustíveis”, garantiu Diamantino Azevedo.

Entretanto, o Administrador Executivo da ANPG, Belarmino Chitingueleca, em representação do Presidente do Conselho de Administração, lembrou que este memorando permitirá à ANPG participar não só na transição energética em Angola, mas também desempenhar a sua função reguladora no sector dos biocombustíveis.

“Desta forma passaremos a trabalhar em plenitude em todas as áreas de actividade que nos foram confiadas e contribuiremos activamente para o desenvolvimento sustentado do nosso país”, sublinhou.

Citado na nota, Gaspar Martins, Presidente do Conselho de Administração da Sonangol, por sua vez, revelou que a petrolífera angolana já vem trabalhando em pequenas iniciativas que visam a produção de biocombustíveis, entendendo que este memorando “vai contribuir para acelerar em Angola a transição energética, uma transição que conta com um parceiro de peso e com experiência comprovada, a Eni, empresa que já desenvolve projectos semelhantes noutros países do continente africano”.

Já o Director-Geral da Eni Angola Exploration, Matteo Bacchini, declarou, se trata dum acto muito importante, porque com ele se dá os primeiros passos para a transição energética e para a descarbonização da indústria em Angola – objectivos que a organizações concretizarão em conjunto, disse, em regime de parceria.

6galeria

Redacção

A Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANPG) assinou, recentemente, com a Eni Angola e a Sonangol, E.P., um memorando de entendimento que visa dinamizar a produção de energias renováveis e em simultâneo impulsionar a transição energética do país para fontes consideradas mais amigas do ambiente.

O acto, de acordo com a nota partilhada com o ONgoma News, prevê a implementação de iniciativas conjuntas para o desenvolvimento de projectos no sector dos agro-biocombustíveis, com vista à diversificação das fontes de energia produzidas em Angola.

Na ocasião, o ministro dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás disse que este memorando se enquadra no âmbito da estratégia nacional, que estabelece a visão dos princípios orientadores para a produção de biocombustíveis em Angola, em linha com os compromissos assumidos internacionalmente, e com vista a uma transição energética alinhada com as melhores práticas internacionais.

“O sector do petróleo e gás dá um importante passo rumo à descarbonização e à transição energética em Angola com a assinatura deste memorando de entendimento, para o estudo e implementação de iniciativas conjuntas, capazes de contribuir para o desenvolvimento do sector dos agro-biocombustíveis”, garantiu Diamantino Azevedo.

Entretanto, o Administrador Executivo da ANPG, Belarmino Chitingueleca, em representação do Presidente do Conselho de Administração, lembrou que este memorando permitirá à ANPG participar não só na transição energética em Angola, mas também desempenhar a sua função reguladora no sector dos biocombustíveis.

“Desta forma passaremos a trabalhar em plenitude em todas as áreas de actividade que nos foram confiadas e contribuiremos activamente para o desenvolvimento sustentado do nosso país”, sublinhou.

Citado na nota, Gaspar Martins, Presidente do Conselho de Administração da Sonangol, por sua vez, revelou que a petrolífera angolana já vem trabalhando em pequenas iniciativas que visam a produção de biocombustíveis, entendendo que este memorando “vai contribuir para acelerar em Angola a transição energética, uma transição que conta com um parceiro de peso e com experiência comprovada, a Eni, empresa que já desenvolve projectos semelhantes noutros países do continente africano”.

Já o Director-Geral da Eni Angola Exploration, Matteo Bacchini, declarou, se trata dum acto muito importante, porque com ele se dá os primeiros passos para a transição energética e para a descarbonização da indústria em Angola – objectivos que a organizações concretizarão em conjunto, disse, em regime de parceria.

6galeria

Artigos relacionados

Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form