Actualidade
Política

Paulo Pombolo nega haver mal-estar nas estruturas internas do MPLA

Paulo Pombolo nega haver mal-estar nas estruturas internas do MPLA
Foto por:
vídeo por:
DR

O secretário para a Informação do MPLA, Paulo Pombolo, negou, em Malanje, haver crise interna, e afirmou que as estruturas do partido em todo o país estão a funcionar em plenitude.

O também coordenador do grupo de acompanhamento do Bureau Político daquele partido para a província de Malanje, que falava durante um encontro com militantes, disse que “o partido continua unido, coeso e devidamente estruturado”.

Sem citar nomes, Paulo Pombolo admitiu que alguns militantes fazem pronunciamentos para tentar manchar o nome do MPLA, mas o partido não está preocupado com tais pronunciamentos, e sim com os próximos compromissos que passam, fundamentalmente, pela preparação das eleições autárquicas, previstas para o próximo ano, e que vão permitir a implantação do poder autárquico.

O porta-voz do MPLA afirmou ainda que o partido está a preparar-se ao pormenor para ganhar as eleições autárquicas, o que, em seu entender, torna imperiosa a mobilização e esclarecimento dos militantes sobre o processo.

“Um dos nossos grandes desafios é vencer as eleições autárquicas. Temos de ganhar no maior número de municípios possíveis”, reforçou o dirigente do MPLA, para quem isso seria um prelúdio para a conquista das eleições gerais de 2022.

Para o êxito nas próximas eleições, o responsável defendeu a realização de uma “profunda campanha de mobilização dos militantes junto da população”, para que os cidadãos possam compreender melhor o programa do MPLA e nele depositem o seu voto. Com efeito, o político desafiou as organizações de base do partido, no caso, os Comités de Acção, a serem mais interventivas, mobilizando, cada vez mais, a população, de modo a elevar o número de militantes.

Paulo Pombolo reiterou a aposta do partido no combate à corrupção, um mal que, segundo disse, tem repercussão na economia nacional e das famílias.

De acordo com o Jornal de Angola, o dirigente do MPLA disse que o partido deve educar a população, sobretudo a jovem, sobre as consequências nefastas da corrupção.  

Além de reunir com o Comité de Acção “29 de Março”, Paulo Pombolo teve um encontro com os membros da comissão executiva do Comité Provincial do MPLA, no âmbito dos preparativos da IV Conferência Provincial Extraordinária, que se realiza no sábado, e do 7º Congresso Extraordinário do partido, no dia 15 de Junho próximo.

6galeria

Redacção

O secretário para a Informação do MPLA, Paulo Pombolo, negou, em Malanje, haver crise interna, e afirmou que as estruturas do partido em todo o país estão a funcionar em plenitude.

O também coordenador do grupo de acompanhamento do Bureau Político daquele partido para a província de Malanje, que falava durante um encontro com militantes, disse que “o partido continua unido, coeso e devidamente estruturado”.

Sem citar nomes, Paulo Pombolo admitiu que alguns militantes fazem pronunciamentos para tentar manchar o nome do MPLA, mas o partido não está preocupado com tais pronunciamentos, e sim com os próximos compromissos que passam, fundamentalmente, pela preparação das eleições autárquicas, previstas para o próximo ano, e que vão permitir a implantação do poder autárquico.

O porta-voz do MPLA afirmou ainda que o partido está a preparar-se ao pormenor para ganhar as eleições autárquicas, o que, em seu entender, torna imperiosa a mobilização e esclarecimento dos militantes sobre o processo.

“Um dos nossos grandes desafios é vencer as eleições autárquicas. Temos de ganhar no maior número de municípios possíveis”, reforçou o dirigente do MPLA, para quem isso seria um prelúdio para a conquista das eleições gerais de 2022.

Para o êxito nas próximas eleições, o responsável defendeu a realização de uma “profunda campanha de mobilização dos militantes junto da população”, para que os cidadãos possam compreender melhor o programa do MPLA e nele depositem o seu voto. Com efeito, o político desafiou as organizações de base do partido, no caso, os Comités de Acção, a serem mais interventivas, mobilizando, cada vez mais, a população, de modo a elevar o número de militantes.

Paulo Pombolo reiterou a aposta do partido no combate à corrupção, um mal que, segundo disse, tem repercussão na economia nacional e das famílias.

De acordo com o Jornal de Angola, o dirigente do MPLA disse que o partido deve educar a população, sobretudo a jovem, sobre as consequências nefastas da corrupção.  

Além de reunir com o Comité de Acção “29 de Março”, Paulo Pombolo teve um encontro com os membros da comissão executiva do Comité Provincial do MPLA, no âmbito dos preparativos da IV Conferência Provincial Extraordinária, que se realiza no sábado, e do 7º Congresso Extraordinário do partido, no dia 15 de Junho próximo.

6galeria

Artigos relacionados

Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form