Arte e Cultura
Exposição

“Passado Presente” de Ricardo Kapuka vai ilustrar vontades e sonhos

“Passado Presente” de Ricardo Kapuka vai ilustrar vontades e sonhos
Foto por:
vídeo por:
DR

O artista angolano Ricardo Kapuka vai inaugurar, na próxima sexta-feira, dia 26 deste mês, a exposição “Passado Presente”, no ELA (Espaço Luanda Arte), pelas 18h00, um projecto individual criado na perspectiva de que “hoje e agora, na consciência colectiva, os anseios, as vontades e os sonhos cruzam-se na passagem do tempo que nunca pára”.

Para o artista, o amanhã parece por vezes um sonho distante que demora a concretizar-se, representando a arqueologia humana e urbana contemporânea desta sociedade ainda viva e vibrante, olham-se para os momentos de alegria e os de melancolia, os dias bons e os maus que a vida tem. “É a luta do povo e a força de não desistir da busca pelos seus ideais”, referiu, citado no comunicado enviado ao ONgoma News.

Por sua vez, o director do ELA, Dominick Maia Tanner, entende que “à medida que o presente globalizado torna-se cada vez mais politizado e polemizado, é mais importante do que nunca desafiar as nossas ideias sobre o que virá a seguir: empurrar, sondar, rasgar e repensar o que o futuro pode e deve ser a partir do zero”.

O responsável acredita que, ao apresentar obras com narrativas sarcásticas, historicamente descolonizadas, e politicamente reconfiguradas, o artista irá oferecer visões do futuro fora e além do discurso dominante, onde iremos poder encontrar novas possibilidades de mudança real.

Com o patrocínio do BFA e da WEZA, a exposição ficará patente até dia 5 de Junho naquele espaço de arte.

6galeria

Andrade Lino

Jornalista

Estudante de Língua Portuguesa e Comunicação, amante de artes visuais, música e poesia.

O artista angolano Ricardo Kapuka vai inaugurar, na próxima sexta-feira, dia 26 deste mês, a exposição “Passado Presente”, no ELA (Espaço Luanda Arte), pelas 18h00, um projecto individual criado na perspectiva de que “hoje e agora, na consciência colectiva, os anseios, as vontades e os sonhos cruzam-se na passagem do tempo que nunca pára”.

Para o artista, o amanhã parece por vezes um sonho distante que demora a concretizar-se, representando a arqueologia humana e urbana contemporânea desta sociedade ainda viva e vibrante, olham-se para os momentos de alegria e os de melancolia, os dias bons e os maus que a vida tem. “É a luta do povo e a força de não desistir da busca pelos seus ideais”, referiu, citado no comunicado enviado ao ONgoma News.

Por sua vez, o director do ELA, Dominick Maia Tanner, entende que “à medida que o presente globalizado torna-se cada vez mais politizado e polemizado, é mais importante do que nunca desafiar as nossas ideias sobre o que virá a seguir: empurrar, sondar, rasgar e repensar o que o futuro pode e deve ser a partir do zero”.

O responsável acredita que, ao apresentar obras com narrativas sarcásticas, historicamente descolonizadas, e politicamente reconfiguradas, o artista irá oferecer visões do futuro fora e além do discurso dominante, onde iremos poder encontrar novas possibilidades de mudança real.

Com o patrocínio do BFA e da WEZA, a exposição ficará patente até dia 5 de Junho naquele espaço de arte.

6galeria

Artigos relacionados

Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form