Actualidade
Mundo

Pandemia da Covid-19 dificulta vacinação de crianças em risco de contrair doenças graves

Pandemia da Covid-19 dificulta vacinação de crianças em risco de contrair doenças graves
Foto por:
vídeo por:

Enquanto o mundo se debate com a pandemia da Covid-19, milhares de crianças continuam sem ser vacinadas e em risco de contrair doenças mortais evitáveis pela vacinação, tais como a difteria, sarampo, meningite e tétano, aponta um comunicado da Organização Mundial da Saúde.

Segundo o documento, “a imunização salva milhões de vidas todos os anos e é amplamente reconhecida como uma das intervenções de saúde de maior sucesso a nível mundial. Todos, em toda a parte, têm direito à protecção contra doenças evitáveis pela vacinação, e a expansão do acesso às vacinas é fundamental para que as pessoas alcancem o seu pleno potencial”.

O comunicado cita ainda que estudos internacionais mostram que, por cada dólar gasto na vacinação infantil a nível mundial, obtém-se 44 dólares em benefícios económicos. “As doenças e mortes causadas por doenças preveníveis pela vacinação custam à África subsariana 13 mil milhões de dólares anuais, recursos que poderiam ser canalizados para reforçar os sistemas de saúde e fortalecer as economias”, lê-se.

Ao falar no âmbito da Semana Mundial de Imunização, celebrado todos os anos na última semana de Abril, a Representante da OMS em Angola, Djamila Cabral, citado no comunicado que vimos citando, afirmou que, com todas as atenções centradas nas vacinas contra a COVID-19, não deve esquecer outros compromissos essenciais de vacinação.

“Quando o acesso à vacinação aumenta num determinado país, não somente salva vidas e melhora os resultados no sector da saúde, como também desperta o potencial social e económico da população. As vacinas para salvar vidas são um direito de todos; todos temos a responsabilidade de garantir que ninguém seja deixado para trás sem ser vacinado”, defendeu.

6galeria

Redacção

Enquanto o mundo se debate com a pandemia da Covid-19, milhares de crianças continuam sem ser vacinadas e em risco de contrair doenças mortais evitáveis pela vacinação, tais como a difteria, sarampo, meningite e tétano, aponta um comunicado da Organização Mundial da Saúde.

Segundo o documento, “a imunização salva milhões de vidas todos os anos e é amplamente reconhecida como uma das intervenções de saúde de maior sucesso a nível mundial. Todos, em toda a parte, têm direito à protecção contra doenças evitáveis pela vacinação, e a expansão do acesso às vacinas é fundamental para que as pessoas alcancem o seu pleno potencial”.

O comunicado cita ainda que estudos internacionais mostram que, por cada dólar gasto na vacinação infantil a nível mundial, obtém-se 44 dólares em benefícios económicos. “As doenças e mortes causadas por doenças preveníveis pela vacinação custam à África subsariana 13 mil milhões de dólares anuais, recursos que poderiam ser canalizados para reforçar os sistemas de saúde e fortalecer as economias”, lê-se.

Ao falar no âmbito da Semana Mundial de Imunização, celebrado todos os anos na última semana de Abril, a Representante da OMS em Angola, Djamila Cabral, citado no comunicado que vimos citando, afirmou que, com todas as atenções centradas nas vacinas contra a COVID-19, não deve esquecer outros compromissos essenciais de vacinação.

“Quando o acesso à vacinação aumenta num determinado país, não somente salva vidas e melhora os resultados no sector da saúde, como também desperta o potencial social e económico da população. As vacinas para salvar vidas são um direito de todos; todos temos a responsabilidade de garantir que ninguém seja deixado para trás sem ser vacinado”, defendeu.

6galeria

Artigos relacionados

Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form