Actualidade
Greve

Oficiais de justiça anunciam greve nacional

Oficiais de justiça anunciam greve nacional
Foto por:
vídeo por:
DR

O Sindicato dos Oficiais de Justiça de Angola (SOJA) anunciou hoje, sexta-feira, uma greve nacional, a partir da próxima segunda-feira, em protesto contra as condições precárias nos tribunais.

Entre as dificuldades apresentadas estão a falta de transporte e a de seguro de saúde, segundo o secretário-geral do SOJA, Joaquim de Brito Teixeira, que referiu que a primeira fase da greve, que deve abranger todos os tribunais de primeira instância das 19 províncias judiciais angolanas, decorre de 06 a 10 deste mês e, caso não exista disponibilidade de negociação da parte do Conselho Superior da Magistratura Judicial (CSMJ), a segunda fase será acionada entre 20 e 24 do mesmo mês.

Citado pela Lusa, Joaquim de Brito Teixeira apontou a "falta de pessoal, a revisão do estatuto remuneratório para os oficiais de justiça, as condições precárias que os tribunais hoje apresentam" como alguns dos pontos constantes do caderno reivindicativo, tendo relevado que falta o mínimo, incluindo até papel. "Falta-nos condições ou meios de deslocação quando se precisa ir notificar alguém", apontou o responsável sindical.

O caderno reivindicativo do SOJA deu entrada no CSMJ em 15 de Abril passado e nele consta também a necessidade da "implementação urgente" de um seguro de saúde para a garantia da assistência médica e medicamentosa aos oficias de justiça.

Para a fonte, a implementação de um seguro de saúde para os oficiais de justiça passa pelo estabelecimento de acordos entre o CSMJ e as seguradoras.

6galeria

Redacção

O Sindicato dos Oficiais de Justiça de Angola (SOJA) anunciou hoje, sexta-feira, uma greve nacional, a partir da próxima segunda-feira, em protesto contra as condições precárias nos tribunais.

Entre as dificuldades apresentadas estão a falta de transporte e a de seguro de saúde, segundo o secretário-geral do SOJA, Joaquim de Brito Teixeira, que referiu que a primeira fase da greve, que deve abranger todos os tribunais de primeira instância das 19 províncias judiciais angolanas, decorre de 06 a 10 deste mês e, caso não exista disponibilidade de negociação da parte do Conselho Superior da Magistratura Judicial (CSMJ), a segunda fase será acionada entre 20 e 24 do mesmo mês.

Citado pela Lusa, Joaquim de Brito Teixeira apontou a "falta de pessoal, a revisão do estatuto remuneratório para os oficiais de justiça, as condições precárias que os tribunais hoje apresentam" como alguns dos pontos constantes do caderno reivindicativo, tendo relevado que falta o mínimo, incluindo até papel. "Falta-nos condições ou meios de deslocação quando se precisa ir notificar alguém", apontou o responsável sindical.

O caderno reivindicativo do SOJA deu entrada no CSMJ em 15 de Abril passado e nele consta também a necessidade da "implementação urgente" de um seguro de saúde para a garantia da assistência médica e medicamentosa aos oficias de justiça.

Para a fonte, a implementação de um seguro de saúde para os oficiais de justiça passa pelo estabelecimento de acordos entre o CSMJ e as seguradoras.

6galeria

Artigos relacionados

Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form