Actualidade
Política

Obras do Pólo de Desenvolvimento Diamantífero de Saurimo com previsão de conclusão para este ano

Obras do Pólo de Desenvolvimento Diamantífero de Saurimo com previsão de conclusão para este ano
Foto por:
vídeo por:
DR

Foi ontem oficialmente apresentado, em Luanda, a entidades institucionais e empresariais, nacionais e estrangeiras, o Pólo de Desenvolvimento Diamantífero de Saurimo, com data de conclusão prevista para o final deste ano.

Aprovado pelo despacho presidencial no 36/19, de 25 de Março, a obra, impulsionada pelo Ministério dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás, é um investimento da responsabilidade da SODIAM, E.P., que assegura também a sua gestão.

A construção encontra-se praticamente à metade, com a principal fábrica de lapidação de diamantes já concluída, em termos de edificação da estrutura, e as quatro naves industriais principais em estado adiantado de conclusão, nas quais serão instaladas o Centro de Formação em Avaliação e Lapidação de Diamantes, da responsabilidade da SODIAM, e outras fábricas de lapidação de menor dimensão, de acordo com o comunicado enviado ao ONgoma News.

Para o Ministro dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás, Diamantino de Azevedo, este projecto “marca não só o desenvolvimento da cadeia de valor do sector diamantífero nacional, como é também uma aposta muito necessária no desenvolvimento empresarial fora da grande Luanda, inclusive porque neste empreendimento vão ser criados diversos tipos de empregos para os angolanos, desde a lapidação de diamantes a serviços comerciais”.

Bravo da Rosa, Presidente do Conselho de Administração da SODIAM, E.P., por sua vez, declarou que a concretização do Pólo “significa uma cada vez maior profissionalização e expansão da indústria diamantífera em Angola, e um passo muito relevante para o objecto da SODIAM na execução das políticas de um sector estratégico para o Estado”.

Localizado a Norte da cidade de Saurimo, este Pólo de Desenvolvimento Diamantífero tem como objectivo principal reunir num só espaço empresas relacionadas com a economia mineradora, com foco na cadeia de valor dos diamantes, e oferece as infra-estruturas adequadas para o desenvolvimento desta actividade.

A obra, cujas características se assemelham às de uma Zona Económica Especial, cria um conjunto de oportunidades de investimento privado para nacionais e estrangeiros. A par da instalação de empresas e de negócios directamente ligados ao sub-sector diamantífero, em particular, e ao sector mineiro em geral, é também seu objectivo a formação e a capacitação de quadros, com a implantação de dois importantes centros – um especializado em classificação e avaliação de diamantes, da responsabilidade da SODIAM; outro especializado em gemologia, geologia, estudos e projectos, da ENDIAMA, refere a nota.

Ainda de acordo com o documento, a área comercial é constituída por um núcleo que integrará lojas, restaurantes, bancos, repartições fiscais, escritórios, centro de convenções e os dois centros de formação.

A área industrial, de acesso controlado, conta com segurança reforçada e é composta por 26 lotes de diferentes dimensões destinados à implantação de fábricas, plataformas logísticas e entrepostos aduaneiros para apoio ao ramo da mineração e não só. É num destes lotes que está localizada a fábrica de lapidação de diamantes e nos restantes quatro existem naves industriais de 750m2 para arrendamento. Nos demais lotes, inteiramente destinados à iniciativa privada, poderão ser integrados outros empreendimentos industriais inerentes à indústria diamantífera, nomeadamente mais fábricas de lapidação.

Um dos aspectos relevantes deste Pólo é a sua auto-suficiência energética, onde uma estação híbrida (solar e térmica) com a capacidade de (3) megawatts solar e (2) megawatts térmicos o torna independente do funcionamento da rede local, sublinha o comunicado.

Entretanto, recorde-se que para a construção do Pólo foi aprovado um investimento de 77 milhões de dólares, correspondendo a fiscalização da sua execução a um investimento complementar de dois milhões e trezentos mil dólares.

6galeria

Redacção

Foi ontem oficialmente apresentado, em Luanda, a entidades institucionais e empresariais, nacionais e estrangeiras, o Pólo de Desenvolvimento Diamantífero de Saurimo, com data de conclusão prevista para o final deste ano.

Aprovado pelo despacho presidencial no 36/19, de 25 de Março, a obra, impulsionada pelo Ministério dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás, é um investimento da responsabilidade da SODIAM, E.P., que assegura também a sua gestão.

A construção encontra-se praticamente à metade, com a principal fábrica de lapidação de diamantes já concluída, em termos de edificação da estrutura, e as quatro naves industriais principais em estado adiantado de conclusão, nas quais serão instaladas o Centro de Formação em Avaliação e Lapidação de Diamantes, da responsabilidade da SODIAM, e outras fábricas de lapidação de menor dimensão, de acordo com o comunicado enviado ao ONgoma News.

Para o Ministro dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás, Diamantino de Azevedo, este projecto “marca não só o desenvolvimento da cadeia de valor do sector diamantífero nacional, como é também uma aposta muito necessária no desenvolvimento empresarial fora da grande Luanda, inclusive porque neste empreendimento vão ser criados diversos tipos de empregos para os angolanos, desde a lapidação de diamantes a serviços comerciais”.

Bravo da Rosa, Presidente do Conselho de Administração da SODIAM, E.P., por sua vez, declarou que a concretização do Pólo “significa uma cada vez maior profissionalização e expansão da indústria diamantífera em Angola, e um passo muito relevante para o objecto da SODIAM na execução das políticas de um sector estratégico para o Estado”.

Localizado a Norte da cidade de Saurimo, este Pólo de Desenvolvimento Diamantífero tem como objectivo principal reunir num só espaço empresas relacionadas com a economia mineradora, com foco na cadeia de valor dos diamantes, e oferece as infra-estruturas adequadas para o desenvolvimento desta actividade.

A obra, cujas características se assemelham às de uma Zona Económica Especial, cria um conjunto de oportunidades de investimento privado para nacionais e estrangeiros. A par da instalação de empresas e de negócios directamente ligados ao sub-sector diamantífero, em particular, e ao sector mineiro em geral, é também seu objectivo a formação e a capacitação de quadros, com a implantação de dois importantes centros – um especializado em classificação e avaliação de diamantes, da responsabilidade da SODIAM; outro especializado em gemologia, geologia, estudos e projectos, da ENDIAMA, refere a nota.

Ainda de acordo com o documento, a área comercial é constituída por um núcleo que integrará lojas, restaurantes, bancos, repartições fiscais, escritórios, centro de convenções e os dois centros de formação.

A área industrial, de acesso controlado, conta com segurança reforçada e é composta por 26 lotes de diferentes dimensões destinados à implantação de fábricas, plataformas logísticas e entrepostos aduaneiros para apoio ao ramo da mineração e não só. É num destes lotes que está localizada a fábrica de lapidação de diamantes e nos restantes quatro existem naves industriais de 750m2 para arrendamento. Nos demais lotes, inteiramente destinados à iniciativa privada, poderão ser integrados outros empreendimentos industriais inerentes à indústria diamantífera, nomeadamente mais fábricas de lapidação.

Um dos aspectos relevantes deste Pólo é a sua auto-suficiência energética, onde uma estação híbrida (solar e térmica) com a capacidade de (3) megawatts solar e (2) megawatts térmicos o torna independente do funcionamento da rede local, sublinha o comunicado.

Entretanto, recorde-se que para a construção do Pólo foi aprovado um investimento de 77 milhões de dólares, correspondendo a fiscalização da sua execução a um investimento complementar de dois milhões e trezentos mil dólares.

6galeria

Artigos relacionados

Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form