Actualidade
Política

"O PIIM, aparentemente, é bom, mas deveria ser discutido em aberto", afirmou Fernando Pacheco

"O PIIM, aparentemente, é bom, mas deveria ser discutido em aberto", afirmou Fernando Pacheco
Foto por:
vídeo por:
DR

O membro fundador da Acção para o Desenvolvimento Rural e Ambiente (ADRA) Fernado Pacheco afirmou que o Programa Integrado de Intervenção Municipal (PIIM), avaliado em dois milhões de dólares, aparentemente, é bom, mas deveria ser discutido em aberto, antes do seu anúncio ou aprovação, uma vez que está a envolver recursos do Fundo Soberano do país.

O também engenheiro agronónomo, que falou durante um seminário provincial sobre os desafios do processo de descentralização e desenvolvimento local em Benguela, decorrido na semana passada, frisou que no seu percurso profissional, durante anos, foi notando que, na realidade, a vida deveria fazer-se nos municípios, o que ainda não acontece, e tal é a precariedade das condições de vida em grande parte do interior.

Por essa razão, defendeu que o PIIM deveria ser complementado com outro plano ou programa económico, sem o qual, entende, não se pode atingir o desenvolvimento económico e social pretendedido, o que poderá desiludir os jovens e levá-los a maus caminhos.

Afirmou, citado pelo portal Gazeta Uigense, que grande parte dos projectos e programas desenhados para permitir o desenvolvimento local não resultaram por falta de contra-pesos na sua definição.

O orador, que defende maior participação dos cidadãos e de equilíbrios na tomada de decisões do poder político, disse ainda que Beguela conhece alguns exemplos de falta de participação da cidadania e de equilíbiros na tomada de decisões, o que terá resultado, por exemplo, na construção de um complexo agrícola no Cubal para a produção de fuba de milho (numa zona sem tradição de cultura de milho), com aplicação de elevadas quantidades de dinheiro.

6galeria

Andrade Lino

Jornalista

Estudante de Língua Portuguesa e Comunicação, amante de artes visuais, música e poesia.

O membro fundador da Acção para o Desenvolvimento Rural e Ambiente (ADRA) Fernado Pacheco afirmou que o Programa Integrado de Intervenção Municipal (PIIM), avaliado em dois milhões de dólares, aparentemente, é bom, mas deveria ser discutido em aberto, antes do seu anúncio ou aprovação, uma vez que está a envolver recursos do Fundo Soberano do país.

O também engenheiro agronónomo, que falou durante um seminário provincial sobre os desafios do processo de descentralização e desenvolvimento local em Benguela, decorrido na semana passada, frisou que no seu percurso profissional, durante anos, foi notando que, na realidade, a vida deveria fazer-se nos municípios, o que ainda não acontece, e tal é a precariedade das condições de vida em grande parte do interior.

Por essa razão, defendeu que o PIIM deveria ser complementado com outro plano ou programa económico, sem o qual, entende, não se pode atingir o desenvolvimento económico e social pretendedido, o que poderá desiludir os jovens e levá-los a maus caminhos.

Afirmou, citado pelo portal Gazeta Uigense, que grande parte dos projectos e programas desenhados para permitir o desenvolvimento local não resultaram por falta de contra-pesos na sua definição.

O orador, que defende maior participação dos cidadãos e de equilíbrios na tomada de decisões do poder político, disse ainda que Beguela conhece alguns exemplos de falta de participação da cidadania e de equilíbiros na tomada de decisões, o que terá resultado, por exemplo, na construção de um complexo agrícola no Cubal para a produção de fuba de milho (numa zona sem tradição de cultura de milho), com aplicação de elevadas quantidades de dinheiro.

6galeria

Artigos relacionados

Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form