Ciência & Tecnologia
Motores

O novo Audi Q7 já está em Luanda. É elegante, confortável e feroz

O novo Audi Q7 já está em Luanda. É elegante, confortável e feroz
Foto por:
vídeo por:
DR

A experiência de conduzir um Audi Q7, pela primeira vez, é única. E inesquecível para quem gosta de velocidade mas não dispensa o conforto e a interactividade do veículo, garantida por um computador de bordo desenhado ao pormenor e que nos permite comunicar com o automóvel sem nos distrair da estrada.

Já disponível em Luanda, o novo Audi Q7 traz um corpo mais leve, mas não perdeu a robustez e a imponência que lhe são características. Pesa quase dois mil quilogramas, tem um chassi totalmente novo e mantém o desempenho de um veículo desportivo. Testámo-lo recentemente, na zona de Talatona, em Luanda, onde pusemos à prova os seus 333 cavalos que lhe permitem uma aceleração de 0 a 100 Km/h em 6,1 segundos, ao passo que o motor de 272 cv (TDI) atinge esta velocidade  em 6,3 segundos. Com esta performance, associada a outros itens já mencionados, o Audi Q7 posiciona-se na linha da frente dos SUVs do seu segmento.

Não se pode dizer que seja um amigo do ambiente, mas o novo Audi Q7, felizmente para atmosfera, é menos poluente, pois os seus construtores conseguiram reduzir o consumo de combustível em 28% no motor TFSI e em 23% no TDI.

Embora o seu design seja definido como masculino e determinado, com as linhas horizontais a se estender acima das rodas, e uma cabine mais comprida na sua classe, apesar do menor comprimento exterior, cremos que este veículo “enfeita” a homens e mulheres que não só tenham bom gosto, mas essencialmente capacidade financeira para cobrir os pouco mais de 34 milhões de kwanzas a que está ser comercializado no Drive Angola, a representante oficial da Audi no país.

Outros detalhes

De acordo com um comunicado da marca, quatro das onze cores exteriores disponíveis para o Q7 são novas. O corpo do veículo tem um acabamento de aparência de alumínio mate que mais parecer mais desportivo e moderno. O SUV tem peças aparafusadas, tais como os embutidos das portas e a parte dianteira e traseira inferior da carroçaria, que vêm de série com um acabamento de pintura prateado. Na configuração de base, a secção inferior dos para-choques e os arcos das rodas são em antracite - plástico texturizado.

A Audi oferece um engate de reboque de poder opcional com assistente de reboque, tendo uma capacidade suportar 3,5 toneladas métricas se equipado com a suspensão pneumática opcional.

Como já dissemos, o novo Audi Q7 acolhe os seus passageiros com uma atmosfera de elegância e amplitude, sendo que  foi possível confirmar, ao longo da condução, que “o design interior trabalha as linhas longas; os inlays de duas peças estão disponíveis em várias combinações de materiais e a tira de aplicação dupla nas portas proporciona uma sensação de leveza. O seu painel de instrumentos é visualmente separado da consola central, apoiando o look desportivo e a leveza no interior”.

Destaque-se ainda que uma cobertura que corre das portas através do painel de instrumentos para formar uma espécie de escudo protector dá ao motorista e passageiros uma sensação de protecção. Os componentes da interface são adaptados especificamente para o Audi Q7. Localizados na consola central, estão orientados em direcção ao motorista, ao passo que as formas e contornos dos componentes de interface harmonizam-se bem com a arquitetura do interior e as linhas das aberturas de ar apontam para o conjunto de instrumentos e reforçam ainda mais a orientação do condutor. A iluminação ambiente utiliza exclusivamente LEDs, com uma segunda variante da iluminação ambiente disponível como opcional.

Ficámos tristes, entretanto, ao saber que o novo Audi Q7 não traz um pneu de socorro, sendo que, no lugar deste, vem um kit de reparação. Em nossa opinião, essa solução é inadequada às estradas angolanas, onde os veículos estão expostos a vários riscos. O furo no pneu um dos mais frequentes. Cá entre nós é frequente "ficar na rua" por falta de um pneu de socorro. Mas quem tem um Audio Q7 deverá ter um punhado de soluções e alternativas. 

6galeria

Sebastião Vemba

Fundador e Director Editorial do ONgoma News

Jornalista, apaixonado pela escrita, fotografia e artes visuais. Tem interesses nas novas medias, formação e desenvolvimento comunitário.

A experiência de conduzir um Audi Q7, pela primeira vez, é única. E inesquecível para quem gosta de velocidade mas não dispensa o conforto e a interactividade do veículo, garantida por um computador de bordo desenhado ao pormenor e que nos permite comunicar com o automóvel sem nos distrair da estrada.

Já disponível em Luanda, o novo Audi Q7 traz um corpo mais leve, mas não perdeu a robustez e a imponência que lhe são características. Pesa quase dois mil quilogramas, tem um chassi totalmente novo e mantém o desempenho de um veículo desportivo. Testámo-lo recentemente, na zona de Talatona, em Luanda, onde pusemos à prova os seus 333 cavalos que lhe permitem uma aceleração de 0 a 100 Km/h em 6,1 segundos, ao passo que o motor de 272 cv (TDI) atinge esta velocidade  em 6,3 segundos. Com esta performance, associada a outros itens já mencionados, o Audi Q7 posiciona-se na linha da frente dos SUVs do seu segmento.

Não se pode dizer que seja um amigo do ambiente, mas o novo Audi Q7, felizmente para atmosfera, é menos poluente, pois os seus construtores conseguiram reduzir o consumo de combustível em 28% no motor TFSI e em 23% no TDI.

Embora o seu design seja definido como masculino e determinado, com as linhas horizontais a se estender acima das rodas, e uma cabine mais comprida na sua classe, apesar do menor comprimento exterior, cremos que este veículo “enfeita” a homens e mulheres que não só tenham bom gosto, mas essencialmente capacidade financeira para cobrir os pouco mais de 34 milhões de kwanzas a que está ser comercializado no Drive Angola, a representante oficial da Audi no país.

Outros detalhes

De acordo com um comunicado da marca, quatro das onze cores exteriores disponíveis para o Q7 são novas. O corpo do veículo tem um acabamento de aparência de alumínio mate que mais parecer mais desportivo e moderno. O SUV tem peças aparafusadas, tais como os embutidos das portas e a parte dianteira e traseira inferior da carroçaria, que vêm de série com um acabamento de pintura prateado. Na configuração de base, a secção inferior dos para-choques e os arcos das rodas são em antracite - plástico texturizado.

A Audi oferece um engate de reboque de poder opcional com assistente de reboque, tendo uma capacidade suportar 3,5 toneladas métricas se equipado com a suspensão pneumática opcional.

Como já dissemos, o novo Audi Q7 acolhe os seus passageiros com uma atmosfera de elegância e amplitude, sendo que  foi possível confirmar, ao longo da condução, que “o design interior trabalha as linhas longas; os inlays de duas peças estão disponíveis em várias combinações de materiais e a tira de aplicação dupla nas portas proporciona uma sensação de leveza. O seu painel de instrumentos é visualmente separado da consola central, apoiando o look desportivo e a leveza no interior”.

Destaque-se ainda que uma cobertura que corre das portas através do painel de instrumentos para formar uma espécie de escudo protector dá ao motorista e passageiros uma sensação de protecção. Os componentes da interface são adaptados especificamente para o Audi Q7. Localizados na consola central, estão orientados em direcção ao motorista, ao passo que as formas e contornos dos componentes de interface harmonizam-se bem com a arquitetura do interior e as linhas das aberturas de ar apontam para o conjunto de instrumentos e reforçam ainda mais a orientação do condutor. A iluminação ambiente utiliza exclusivamente LEDs, com uma segunda variante da iluminação ambiente disponível como opcional.

Ficámos tristes, entretanto, ao saber que o novo Audi Q7 não traz um pneu de socorro, sendo que, no lugar deste, vem um kit de reparação. Em nossa opinião, essa solução é inadequada às estradas angolanas, onde os veículos estão expostos a vários riscos. O furo no pneu um dos mais frequentes. Cá entre nós é frequente "ficar na rua" por falta de um pneu de socorro. Mas quem tem um Audio Q7 deverá ter um punhado de soluções e alternativas. 

6galeria

Artigos relacionados

Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form