Arte e Cultura
Opinião

O estado actual da literatura angolana na visão de Kiokamba Cassua e pastor Hélder Manuel

O estado actual da literatura angolana na visão de Kiokamba Cassua e pastor Hélder Manuel
Foto por:
vídeo por:
Andrade Lino

Existe ainda um custo elevado no acto de edição e publicação do primeiro livro no mercado literário angolano, o que de vez em quando obriga alguns escritores a se deslocarem para o exterior do país, garantindo assim menos gastos no processo todo, observa pastor Hélder Manuel.

“Para alguns escritores fica mais fácil editar um livro fora do que no nosso próprio mercado, pois aqui é muito dispendioso, mas em Angola também há uma boa qualidade. Estamos numa fase embrionária”, afirmou.

Apesar de ser satisfatório para si o estado actual da literatura angolana, o também escritor acredita que se precisa de alguma melhoria, mesmo que haja tentativa de mostrar aos outros países africanos a acção feita em Angola. 

Para escrever um livro, considera pastor Hélder Manuel, primeiramente, “deve-se estruturar as ideias, saber o que quer escrever e para quem quer escrever, porque começar um livro nem sempre é fácil, todavia se tivermos motivação e força, dedicação e fé chegamos ao pódio”, advertiu.

Para Kiokamba Cassua, há um crescimento considerável na literatura angolana, face aos lançamentos de obras registadas no mercado, o interesse das pessoas em adquirir os livros, bem como a criação dos mais variados movimentos literários que vão dinamizando o mosaico literário.

Kiokamba Cassua, escritor e director da Editora Acácias

O escritor considera haver mais pessoas a ler actualmente, apesar da necessidade de se regularizar os preços dos livros para facilitar a aquisição dos mesmos, assim como um trabalho mais cooperativo entre algumas instituições do Estado, nomeadamente o Ministério da Cultura, Ministério da Educação, Ministério da Comunicação Social, para uma maior divulgação das actividades literárias.

O também director da Editora Acácias afirmou ainda que o crescimento não se verifica apenas nas publicações feitas pelos escritores angolanos consagrados, mas também pelos escritores da nova geração com obras de qualidade, embora a camada juvenil deva, precisamente, beber mais dos autores da antiga geração.

“Hoje nós vemos livros com muita qualidade nas publicações de obras feitas por escritores jovens, que felizmente têm sido também aplaudidos por escritores da antiga geração literária, mas há uma necessidade de maior investigação, investimento no processo de escrita dos jovens”, disse, referindo, em entrevista ao ONgoma News, durante o lançamento do livro de Jair Pereira, decorrido na quarta-feira, no HCTA, que “para ser um bom escritor, deve-se, necessariamente, ser um bom leitor, uma vez que a leitura é o caminho para alcançar a excelência no processo de escrita”.

Quanto à obra de Jair, intitulada “O momento de fazer é agora”, Kiokamba comentou ser um livro motivacional que permitirá que muitos projectos se materializem, visto que apresenta abordagens de empreendedorismo, gestão e motivação.

Por outro lado, os estudantes António Sindi e Rafael Kiala afirmaram que a obra de Jair Pereira traz conteúdos de incentivo as pessoas a empreender, a lidar com as dificuldades e a ter atitude positiva diante das várias situações da vida.

Jair Pereira, autor da obra

Por último o autor reforçou que esta obra surge com o propósito de dotar os empreendedores, e leitores em geral, de noções sobre a necessidade de estabelecerem o momento exacto, manter uma base para começar a empreender e ter um relacionamento diferente, “uma vez que nos encontramos em mudança de paradigma financeiro e de consciência”.

 

6galeria

Pedro Kididi

Jornalista

Existe ainda um custo elevado no acto de edição e publicação do primeiro livro no mercado literário angolano, o que de vez em quando obriga alguns escritores a se deslocarem para o exterior do país, garantindo assim menos gastos no processo todo, observa pastor Hélder Manuel.

“Para alguns escritores fica mais fácil editar um livro fora do que no nosso próprio mercado, pois aqui é muito dispendioso, mas em Angola também há uma boa qualidade. Estamos numa fase embrionária”, afirmou.

Apesar de ser satisfatório para si o estado actual da literatura angolana, o também escritor acredita que se precisa de alguma melhoria, mesmo que haja tentativa de mostrar aos outros países africanos a acção feita em Angola. 

Para escrever um livro, considera pastor Hélder Manuel, primeiramente, “deve-se estruturar as ideias, saber o que quer escrever e para quem quer escrever, porque começar um livro nem sempre é fácil, todavia se tivermos motivação e força, dedicação e fé chegamos ao pódio”, advertiu.

Para Kiokamba Cassua, há um crescimento considerável na literatura angolana, face aos lançamentos de obras registadas no mercado, o interesse das pessoas em adquirir os livros, bem como a criação dos mais variados movimentos literários que vão dinamizando o mosaico literário.

Kiokamba Cassua, escritor e director da Editora Acácias

O escritor considera haver mais pessoas a ler actualmente, apesar da necessidade de se regularizar os preços dos livros para facilitar a aquisição dos mesmos, assim como um trabalho mais cooperativo entre algumas instituições do Estado, nomeadamente o Ministério da Cultura, Ministério da Educação, Ministério da Comunicação Social, para uma maior divulgação das actividades literárias.

O também director da Editora Acácias afirmou ainda que o crescimento não se verifica apenas nas publicações feitas pelos escritores angolanos consagrados, mas também pelos escritores da nova geração com obras de qualidade, embora a camada juvenil deva, precisamente, beber mais dos autores da antiga geração.

“Hoje nós vemos livros com muita qualidade nas publicações de obras feitas por escritores jovens, que felizmente têm sido também aplaudidos por escritores da antiga geração literária, mas há uma necessidade de maior investigação, investimento no processo de escrita dos jovens”, disse, referindo, em entrevista ao ONgoma News, durante o lançamento do livro de Jair Pereira, decorrido na quarta-feira, no HCTA, que “para ser um bom escritor, deve-se, necessariamente, ser um bom leitor, uma vez que a leitura é o caminho para alcançar a excelência no processo de escrita”.

Quanto à obra de Jair, intitulada “O momento de fazer é agora”, Kiokamba comentou ser um livro motivacional que permitirá que muitos projectos se materializem, visto que apresenta abordagens de empreendedorismo, gestão e motivação.

Por outro lado, os estudantes António Sindi e Rafael Kiala afirmaram que a obra de Jair Pereira traz conteúdos de incentivo as pessoas a empreender, a lidar com as dificuldades e a ter atitude positiva diante das várias situações da vida.

Jair Pereira, autor da obra

Por último o autor reforçou que esta obra surge com o propósito de dotar os empreendedores, e leitores em geral, de noções sobre a necessidade de estabelecerem o momento exacto, manter uma base para começar a empreender e ter um relacionamento diferente, “uma vez que nos encontramos em mudança de paradigma financeiro e de consciência”.

 

Pedro Kididi

Jornalista

Licenciado em Gestão e Administração pela Faculdade de Ciências Sociais da Universidade Agostinho Neto, Félix Abias é um jornalista angolano que explora temas ligados à política e economia local. Actualmente trabalha para o Grupo Média Rumo

6galeria

Artigos relacionados

Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form