Sociedade
Educação

Mbanza Kongo: Entra em funcionamento centro de artes e ofícios

Mbanza Kongo: Entra em funcionamento centro de artes e ofícios
Foto por:
vídeo por:
DR

Um centro de formação profissional em artes e ofícios, construído de raiz e afecto ao Instituto Nacional de Emprego e Formação Profissional (INEFOP), entra em funcionamento a partir do próximo mês de Junho, na cidade de Mbanza Kongo, província do Zaire, com capacidade de acolher mais de 500 formandos.

O anúncio foi feito nesta terça-feira, naquela localiade, pelo secretário de Estado do Trabalho e Segurança Social, Manuel de Jesus Moreira, que iniciou uma visita de trabalho de dois dias ao Zaire, quando assegurou que, dentro de três meses, serão transferidos os formandos das unidades móveis (camiões acoplados) para o futuro centro fixo, situado na localidade de Kiowa, arredores da cidade.

Em declarações à imprensa, após visitas às unidades móveis e ao futuro centro, o responsável avançou que a transferência para o novo local será progressiva, após trabalhos de melhoria das vias de acesso.

Em três meses será ainda possível a criação de condições de energia eléctrica e água potável, assim como o apetrechamento em meios e equipamentos necessários, segundo a fonte, que disse terem sido já feitos levantamentos das necessidades por uma equipa técnica do seu sector.

Reforçou que o seu Ministério atribui um papel relevante à formação profissional dos cidadãos, de modo a garantir a empregabilidade e combater o desemprego que grassa a maioria da população socialmente activa do país.

Disse també que a aposta é na melhoria da qualidade desta formação nos mais variados domínios, assim como na prestação dos serviços públicos, para que os cidadãos beneficiários possam se rever neles.

A nível da província do Zaire, apenas o município do Soyo possui centro fixo de formação profissional com condições condignas para o efeito.

No presente ciclo formativo, os pavilhões móveis de formação profissional de Mbanza Kongo inscreveram 248 jovens, dos quais 68 do sexo feminino, nos cursos de pastelaria, decoração, corte e costura, electricidade, mecânica-auto, serralharia, alvenaria, canalização, carpintaria, marcenaria, com a duração de nove meses, segundo dados a que Angop teve acesso.

Desde 2006, altura em que entraram em funcionamento, as referidas unidades móveis já formaram mais de três mil cidadãos.

6galeria

Redacção

Um centro de formação profissional em artes e ofícios, construído de raiz e afecto ao Instituto Nacional de Emprego e Formação Profissional (INEFOP), entra em funcionamento a partir do próximo mês de Junho, na cidade de Mbanza Kongo, província do Zaire, com capacidade de acolher mais de 500 formandos.

O anúncio foi feito nesta terça-feira, naquela localiade, pelo secretário de Estado do Trabalho e Segurança Social, Manuel de Jesus Moreira, que iniciou uma visita de trabalho de dois dias ao Zaire, quando assegurou que, dentro de três meses, serão transferidos os formandos das unidades móveis (camiões acoplados) para o futuro centro fixo, situado na localidade de Kiowa, arredores da cidade.

Em declarações à imprensa, após visitas às unidades móveis e ao futuro centro, o responsável avançou que a transferência para o novo local será progressiva, após trabalhos de melhoria das vias de acesso.

Em três meses será ainda possível a criação de condições de energia eléctrica e água potável, assim como o apetrechamento em meios e equipamentos necessários, segundo a fonte, que disse terem sido já feitos levantamentos das necessidades por uma equipa técnica do seu sector.

Reforçou que o seu Ministério atribui um papel relevante à formação profissional dos cidadãos, de modo a garantir a empregabilidade e combater o desemprego que grassa a maioria da população socialmente activa do país.

Disse també que a aposta é na melhoria da qualidade desta formação nos mais variados domínios, assim como na prestação dos serviços públicos, para que os cidadãos beneficiários possam se rever neles.

A nível da província do Zaire, apenas o município do Soyo possui centro fixo de formação profissional com condições condignas para o efeito.

No presente ciclo formativo, os pavilhões móveis de formação profissional de Mbanza Kongo inscreveram 248 jovens, dos quais 68 do sexo feminino, nos cursos de pastelaria, decoração, corte e costura, electricidade, mecânica-auto, serralharia, alvenaria, canalização, carpintaria, marcenaria, com a duração de nove meses, segundo dados a que Angop teve acesso.

Desde 2006, altura em que entraram em funcionamento, as referidas unidades móveis já formaram mais de três mil cidadãos.

6galeria

Artigos relacionados

Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form