Sociedade
Solidariedade

Jovens do Rocha Pinto recebem material desportivo para inclusão social

Jovens do Rocha Pinto recebem material desportivo para inclusão social
Foto por:
vídeo por:
DR

A Fundação Arte e Cultura, braço de responsabilidade social do Grupo Mitrelli, fez esta semana uma doação de material desportivo para a inclusão de jovens e adolescentes no bairro Rocha Pinto, sector I.

De acordo com o director-adjunto da Fundação, Xavier Narciso, a oferta do material destina-se a promover a inclusão social da juventude naquela zona, uma vez que “a organização tem esse carácter solidário” e é um dos seus valores.

“Ocupar os jovens em actividades artísticas e desportivas é um dos objectivos da Fundação. A nossa missão é justamente trabalhar na inclusão social de crianças, adolescentes e mulheres em situação de vulnerabilidade. Em conformidade, e aproveitando o Dia das Boas Acções, que chegou este ano a Angola precisamente através da Fundação e dos seus parceiros, pensamos criar uma tabela de basquetebol e proporcionar aos jovens bolas para que eles possam jogar, disse o responsável, citado no comunicado que recebemos, que no seu entender, com a oferta do material desportivo àquela comunidade, a instituição está a contribuir para a inclusão da juventude.

Domingos Nguvo é o responsável da tabela de basquetebol. Segundo o mesmo, os jovens do sector I e outros, provenientes doutras áreas do distrito de Maianga, encontram-se quase todos os finais de semana para praticarem desporto e uma das coisas que a Fundação veio melhorar foram as condições do local.

Um dos grandes problemas, salientou, tem sido a falta de bolas. “Ao doar-nos uma nova tabela de basquetebol, a Fundação Arte e Cultura devolveu-nos a esperança e nós estamos muito gratos”, sublinhou, acrescentando ter a expectativa de ver gestos semelhantes noutras áreas, para proporcionar distracções aos jovens e diminuir a delinquência.

Para Adriano Guri, membro da comunidade, o sentimento é de pura satisfação. “É coisa de agradecer porque não é algo que acontece diariamente, os jogos de basquetebol ajudam muito, na medida em que ocupam estes jovens em actividades físicas e faz com que eles se insiram na comunidade e, assim, permaneçam longe da delinquência. Eles ficam por aí a divertir-se e a praticar desporto enquanto o tempo passa”, disse.

Já Fernandes Zacarias é um empreendedor e aproveita os finais de semana para fazer negócio, vendendo bebidas, numa roulote instalada ao lado do improvisado campo de basquetebol. A melhoria das condições do local corresponde a uma melhoria para o seu negócio.

Questionado sobre a escolha do local para entrega dos materiais, o director-adjunto da Fundação salientou que o espaço não é, naturalmente, o único com aquelas necessidades, mas referiu que é preciso começar por algum lado e ir avançando para outros locais na medida das possibilidades.

“Mas está também nas mãos de outras instituições fazerem o mesmo noutros locais”, acrescentou.

6galeria

Redacção

A Fundação Arte e Cultura, braço de responsabilidade social do Grupo Mitrelli, fez esta semana uma doação de material desportivo para a inclusão de jovens e adolescentes no bairro Rocha Pinto, sector I.

De acordo com o director-adjunto da Fundação, Xavier Narciso, a oferta do material destina-se a promover a inclusão social da juventude naquela zona, uma vez que “a organização tem esse carácter solidário” e é um dos seus valores.

“Ocupar os jovens em actividades artísticas e desportivas é um dos objectivos da Fundação. A nossa missão é justamente trabalhar na inclusão social de crianças, adolescentes e mulheres em situação de vulnerabilidade. Em conformidade, e aproveitando o Dia das Boas Acções, que chegou este ano a Angola precisamente através da Fundação e dos seus parceiros, pensamos criar uma tabela de basquetebol e proporcionar aos jovens bolas para que eles possam jogar, disse o responsável, citado no comunicado que recebemos, que no seu entender, com a oferta do material desportivo àquela comunidade, a instituição está a contribuir para a inclusão da juventude.

Domingos Nguvo é o responsável da tabela de basquetebol. Segundo o mesmo, os jovens do sector I e outros, provenientes doutras áreas do distrito de Maianga, encontram-se quase todos os finais de semana para praticarem desporto e uma das coisas que a Fundação veio melhorar foram as condições do local.

Um dos grandes problemas, salientou, tem sido a falta de bolas. “Ao doar-nos uma nova tabela de basquetebol, a Fundação Arte e Cultura devolveu-nos a esperança e nós estamos muito gratos”, sublinhou, acrescentando ter a expectativa de ver gestos semelhantes noutras áreas, para proporcionar distracções aos jovens e diminuir a delinquência.

Para Adriano Guri, membro da comunidade, o sentimento é de pura satisfação. “É coisa de agradecer porque não é algo que acontece diariamente, os jogos de basquetebol ajudam muito, na medida em que ocupam estes jovens em actividades físicas e faz com que eles se insiram na comunidade e, assim, permaneçam longe da delinquência. Eles ficam por aí a divertir-se e a praticar desporto enquanto o tempo passa”, disse.

Já Fernandes Zacarias é um empreendedor e aproveita os finais de semana para fazer negócio, vendendo bebidas, numa roulote instalada ao lado do improvisado campo de basquetebol. A melhoria das condições do local corresponde a uma melhoria para o seu negócio.

Questionado sobre a escolha do local para entrega dos materiais, o director-adjunto da Fundação salientou que o espaço não é, naturalmente, o único com aquelas necessidades, mas referiu que é preciso começar por algum lado e ir avançando para outros locais na medida das possibilidades.

“Mas está também nas mãos de outras instituições fazerem o mesmo noutros locais”, acrescentou.

6galeria

Artigos relacionados

Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form