Sociedade
Análise

Incumprimentos de mesada lideram lista de problemas familiares no Ndalatando

Incumprimentos de mesada lideram lista de problemas familiares no Ndalatando
Foto por:
vídeo por:
DR

Os incumprimentos de mesada, com 218 casos registados, encabeçam a lista de 538 conflitos familiares registados pelo sector da Família e Promoção da Mulher, no município do Ndalatando, província do Cuanza Norte, durante o ano 2017.

Os dados da instituição indicam a redução de conflitos familiares no ano transacto, resultante do reforço das acções de sensibilização e aconselhamento desencadeadas junto das instituições públicas, nos locais de grande concentração populacional (mercados paralelos), igrejas e outros.

Entre a natureza dos casos de violência doméstica e conflitos familiares arrolados durante o ano transacto, a fonte aponta 100 abandonos de lar, 72 ofensas morais, 48 ofensas corporais, 34 fugas à paternidade, 16 privações de liberdade, enquanto o adultério, usurpação de bens, difamação e calúnia  registaram sete casos cada.

As ameaças de morte, despejos indevidos, violação, tentativas de suicídio, crença em práticas de feitiçaria, chantagens e outros, constam igualmente da lista dos conflitos registados e traduzidos em 49 agressões físicas, 370 privações de natureza económica, 117 agressões psicológicas e duas violências sexuais.

Entre as vítimas de violência que solicitaram o apoio do sector da Família, a fonte aponta 76 homens e 460 mulheres, maioritariamente senhoras grávidas, mães com filhos menores e abandonadas pelos parceiros, de acordo com a Angop.

Dos casos registados, 473 foram solucionados por via da intermediação e aconselhamento do sector da Família e Promoção da Mulher, enquanto 65 foram transferidos à Procuradoria Geral da República, em virtude da solução dos mesmos transcender as competências da instituição.

 

6galeria

Andrade Lino

Jornalista

Estudante de Língua Portuguesa e Comunicação, amante de artes visuais, música e poesia.

Os incumprimentos de mesada, com 218 casos registados, encabeçam a lista de 538 conflitos familiares registados pelo sector da Família e Promoção da Mulher, no município do Ndalatando, província do Cuanza Norte, durante o ano 2017.

Os dados da instituição indicam a redução de conflitos familiares no ano transacto, resultante do reforço das acções de sensibilização e aconselhamento desencadeadas junto das instituições públicas, nos locais de grande concentração populacional (mercados paralelos), igrejas e outros.

Entre a natureza dos casos de violência doméstica e conflitos familiares arrolados durante o ano transacto, a fonte aponta 100 abandonos de lar, 72 ofensas morais, 48 ofensas corporais, 34 fugas à paternidade, 16 privações de liberdade, enquanto o adultério, usurpação de bens, difamação e calúnia  registaram sete casos cada.

As ameaças de morte, despejos indevidos, violação, tentativas de suicídio, crença em práticas de feitiçaria, chantagens e outros, constam igualmente da lista dos conflitos registados e traduzidos em 49 agressões físicas, 370 privações de natureza económica, 117 agressões psicológicas e duas violências sexuais.

Entre as vítimas de violência que solicitaram o apoio do sector da Família, a fonte aponta 76 homens e 460 mulheres, maioritariamente senhoras grávidas, mães com filhos menores e abandonadas pelos parceiros, de acordo com a Angop.

Dos casos registados, 473 foram solucionados por via da intermediação e aconselhamento do sector da Família e Promoção da Mulher, enquanto 65 foram transferidos à Procuradoria Geral da República, em virtude da solução dos mesmos transcender as competências da instituição.

 

6galeria

Artigos relacionados

Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form