Ciência & Tecnologia
Telecomunicações

Governo quer cobrir 80% da população com serviço de banda larga

Governo quer cobrir 80% da população com serviço de banda larga
Foto por:
vídeo por:
DR

O Governo estimou ontem que 80% da população deverá ter condições de acesso com serviços de banda larga até 2025, referindo que as metas constam da “Estratégia Nacional de Banda Larga” e estão alinhadas aos objectivos regionais e internacionais.

Durante um encontro entre o Instituto Angolanos das Comunicações (INACOM) e operadores do sector, o secretário de Estado para asTelecomunicações de Angola, Mário Oliveira, apresentou ontem a estratégia, salientando que está em curso a preparação de condições para a concepção e implementação da Estratégia Nacional de Banda Larga e sua operacionalização, pedindo o concurso dos operadores para que tudo tenha êxito.

A Estratégia, adiantou, visa concretizar os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas, da Agenda 2030 da União Africana(UA), cujas acções, realçou, se encontram expressas nos compromissos no âmbito da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) 2025.

Mário Oliveira, citado pela agência Lusa, disse igualmente que a materialização desses compromissos também está expressa no Plano de Desenvolvimento Nacional (PDN) 2018-2022, cuja meta, entre outras, “é cobrir 80% da população angolana com serviços de banda larga”.

Na ocasião, o secretário de Estado para as Telecomunicações angolanas recordou que 50% dos lares em cada estado membro da SADC deve estar conectado à internet e que os serviços básicos de banda larga têm de estar acessíveis na região, representando, pelo menos, 2% do PIB mensal.

Com a implementação e operacionalização da Rede Nacional deBanda Larga, explicou Mário Oliveira, o Governo angolano pretende também aumentar o Produto Interno Bruto (PIB), a produtividade, a taxa de emprego e erradicar a pobreza, entre outros.

Redes de fibra ótica e uma rede de micro-ondas, que servirão para suporte das regiões de baixa intensidade populacional e empresarial, bem como a recuperação do cabo de fibra ótica doméstico constam da EstratégiaNacional de Banda Larga que se pretende implementar em Angola.

 

6galeria

Redacção

O Governo estimou ontem que 80% da população deverá ter condições de acesso com serviços de banda larga até 2025, referindo que as metas constam da “Estratégia Nacional de Banda Larga” e estão alinhadas aos objectivos regionais e internacionais.

Durante um encontro entre o Instituto Angolanos das Comunicações (INACOM) e operadores do sector, o secretário de Estado para asTelecomunicações de Angola, Mário Oliveira, apresentou ontem a estratégia, salientando que está em curso a preparação de condições para a concepção e implementação da Estratégia Nacional de Banda Larga e sua operacionalização, pedindo o concurso dos operadores para que tudo tenha êxito.

A Estratégia, adiantou, visa concretizar os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas, da Agenda 2030 da União Africana(UA), cujas acções, realçou, se encontram expressas nos compromissos no âmbito da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) 2025.

Mário Oliveira, citado pela agência Lusa, disse igualmente que a materialização desses compromissos também está expressa no Plano de Desenvolvimento Nacional (PDN) 2018-2022, cuja meta, entre outras, “é cobrir 80% da população angolana com serviços de banda larga”.

Na ocasião, o secretário de Estado para as Telecomunicações angolanas recordou que 50% dos lares em cada estado membro da SADC deve estar conectado à internet e que os serviços básicos de banda larga têm de estar acessíveis na região, representando, pelo menos, 2% do PIB mensal.

Com a implementação e operacionalização da Rede Nacional deBanda Larga, explicou Mário Oliveira, o Governo angolano pretende também aumentar o Produto Interno Bruto (PIB), a produtividade, a taxa de emprego e erradicar a pobreza, entre outros.

Redes de fibra ótica e uma rede de micro-ondas, que servirão para suporte das regiões de baixa intensidade populacional e empresarial, bem como a recuperação do cabo de fibra ótica doméstico constam da EstratégiaNacional de Banda Larga que se pretende implementar em Angola.

 

6galeria

Artigos relacionados

Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form