Actualidade
Economia

Governador do BNA afirma que “o país está num nível que dá ainda algum conforto”

Governador do BNA afirma que “o país está num nível que dá ainda algum conforto”
Foto por:
vídeo por:
DR

O governador do BNA, José de Lima Massano, afirmou nessa sexta-feira que o país está num nível que “dá ainda algum conforto”, quando abordava o impacto do COVID-19 sobre a economia nacional.

Falando em conferência de imprensa, no final de uma reunião do Comité de Política Monetária, o gestor fez saber que o estoque das Reservas Internacionais Brutas do Banco Nacional de Angola (BNA) situou-se, em Fevereiro deste ano, em USD 16,39 mil milhões, equivalente a um grau de cobertura de importações de bens e serviços de oito meses.

Sublinhou, citado pela Angop, que um grau de cobertura das reservas para a importação de bens e serviços para oitos meses está acima das recomendações do Fundo Monetário Internacional (FMI) e das convenções que existem a nível da região, e previu que, a manter-se o preço do petróleo ao nível actual, poderá haver uma agressão maior sobre as reservas internacionais, mas há também um conjunto de medidas que vão no sentido de protecção das mesmas, para se assegurar a solvabilidade externa da economia.   

José de Lima Massano disse ainda que o conjunto de reformas efectuadas permite encarar este momento com alguma serenidade, mas, com o preço do petróleo abaixo dos 30 dólares, colocam-se desafios acrescidos a todo o exercício de gestão macro-económica e de melhoria da condição de vida dos cidadãos.

Do ponto de vista da estabilidade do sistema financeiro, explicou que o exercício efectuado no final do ano passado, com a avaliação da qualidade dos activos, indica que a larga maioria dos bancos tem robustez suficiente para continuar a operar e a apoiar a economia, refere a fonte.

6galeria

Andrade Lino

Jornalista

Estudante de Língua Portuguesa e Comunicação, amante de artes visuais, música e poesia.

O governador do BNA, José de Lima Massano, afirmou nessa sexta-feira que o país está num nível que “dá ainda algum conforto”, quando abordava o impacto do COVID-19 sobre a economia nacional.

Falando em conferência de imprensa, no final de uma reunião do Comité de Política Monetária, o gestor fez saber que o estoque das Reservas Internacionais Brutas do Banco Nacional de Angola (BNA) situou-se, em Fevereiro deste ano, em USD 16,39 mil milhões, equivalente a um grau de cobertura de importações de bens e serviços de oito meses.

Sublinhou, citado pela Angop, que um grau de cobertura das reservas para a importação de bens e serviços para oitos meses está acima das recomendações do Fundo Monetário Internacional (FMI) e das convenções que existem a nível da região, e previu que, a manter-se o preço do petróleo ao nível actual, poderá haver uma agressão maior sobre as reservas internacionais, mas há também um conjunto de medidas que vão no sentido de protecção das mesmas, para se assegurar a solvabilidade externa da economia.   

José de Lima Massano disse ainda que o conjunto de reformas efectuadas permite encarar este momento com alguma serenidade, mas, com o preço do petróleo abaixo dos 30 dólares, colocam-se desafios acrescidos a todo o exercício de gestão macro-económica e de melhoria da condição de vida dos cidadãos.

Do ponto de vista da estabilidade do sistema financeiro, explicou que o exercício efectuado no final do ano passado, com a avaliação da qualidade dos activos, indica que a larga maioria dos bancos tem robustez suficiente para continuar a operar e a apoiar a economia, refere a fonte.

6galeria

Artigos relacionados

Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form