Showbiz
Entretenimento

Gladiadores consideram RRPL um verdadeiro circo de freestyles

Gladiadores consideram RRPL um verdadeiro circo de freestyles
Foto por:
vídeo por:
DR

Os gladiadores dos Reis do Rompimento Primeira Liga (RRPL), principal liga de batalhas de Rap ma lusofonia, consideram a iniciativa um verdadeiro circo de freestyles, sendo uma liga que conta com uma crescente integração de rappers de rua motivados a aperfeiçoar cada vez mais a estrutura das rimas.

Segundo Bruno MC, a RRPL é a liga mais sonante na cidade de Luanda, pelo que motiva os rappers de rua. “A RRPL é uma das febres da cidade de Luanda, que veio para motivar os rappers de rua, e as ruas estão sempre connosco. O rapper é inteligente, aquilo que você pensa também é uma vantagem. Nós estamos para fazer a melhor liga da lusofonia, concorrendo com Brasil, Portugal e Moçambique”, afirmou, em entrevista à Rádio Sem Anestesia, durante as batalhas de freestyles decorridas na Festa da Música, promovida pela angolana de telecomunicações Unitel.  

Na visão de Origon, rompedor na liga há 5 anos, até ao momento, a RRPL é a melhor liga de Angola e, se calhar, da lusofonia. Àquele órgão de comunicação, o também rapper revelou que além de fama, o projecto trouxe respeito mútuo e mais conhecimento.

“A liga mudou muita coisa. Aprendi coisas que não sabia, saber diferenciar um adversário de um inimigo. Às vezes, no rompimento, nós não temos títulos, mas usamo-los apenas naquele momento, para atormentar o adversário, porque fora das câmaras, nós temos outro perfil e vivemos outra realidade. Estou desde 2013 na liga e desde 2000 a fazer rap. Eu peguei o rompimento porque me encontrei e gosto, tenho músicas, mas não estou focado nelas”, revelou.  Para JEO MC, a concorrente mais nova da RRPL, as batalhas de freestyles ajudaram a evoluir consideravelmente a sua dicção, e reconheceu, no entanto, a habilidade de outros gladiadores. 

“Com certeza, evoluí bastante. Anteriormente, eu era mais liricista. Neste show, tive que colocar mais humor nas minhas dicas, porque eram mais conscientes. A liga não mudou a minha forma de compor, porque eu sempre empreendi na minha forma de escrever, mas na dicção das barras melhorei bastante, sendo que antes falava muito baixo, mas agora acho que o meu fôlego aumentou e tenho uma dicção melhor", expressou, perspectivando então melhorias dali para frente, uma vez que o objectivo de todo gladiador é vencer. 

Questionada sobre como encara os outros rompedores, a também MC foi franca ao responder que são todos bons gladiadores com certeza, embora a descrição de métrica seja diferente, dependendo de cada um. “Há quem é mais liricista e outros mais humoristas", disse.

Finalmente, Tanay-Z confessou ter tido um melhor aperfeiçoamento durante as batalhas de freestyles, tendo em conta a interacção com os outros rompedores verbais. “Partilho muitas cenas com os outros gladiadores, ganhei muita experiência, aperfeiçoei a minha maneira de rimar, e hoje sou considerado um dos melhores em rompimento em Angola. Todos que fazem parte da liga são bons, pois só o facto de estar nesta liga significa muita coisa. Eu gosto de fazer rompimento, é minha praia e faço sem muito esforço. Estou na liga desde 2013”, referiu, tendo, por outro lado, deixado um apelo à coordenação das batalhas. 

“Eu gostaria que houvesse júris fixos na nossa liga. Por causa destas trocas de júris, cada um vem com o dele, mas se tivéssemos já júris fixos, seria bem mais fixe", concluiu.

 

6galeria

Pedro Kididi

Jornalista

Os gladiadores dos Reis do Rompimento Primeira Liga (RRPL), principal liga de batalhas de Rap ma lusofonia, consideram a iniciativa um verdadeiro circo de freestyles, sendo uma liga que conta com uma crescente integração de rappers de rua motivados a aperfeiçoar cada vez mais a estrutura das rimas.

Segundo Bruno MC, a RRPL é a liga mais sonante na cidade de Luanda, pelo que motiva os rappers de rua. “A RRPL é uma das febres da cidade de Luanda, que veio para motivar os rappers de rua, e as ruas estão sempre connosco. O rapper é inteligente, aquilo que você pensa também é uma vantagem. Nós estamos para fazer a melhor liga da lusofonia, concorrendo com Brasil, Portugal e Moçambique”, afirmou, em entrevista à Rádio Sem Anestesia, durante as batalhas de freestyles decorridas na Festa da Música, promovida pela angolana de telecomunicações Unitel.  

Na visão de Origon, rompedor na liga há 5 anos, até ao momento, a RRPL é a melhor liga de Angola e, se calhar, da lusofonia. Àquele órgão de comunicação, o também rapper revelou que além de fama, o projecto trouxe respeito mútuo e mais conhecimento.

“A liga mudou muita coisa. Aprendi coisas que não sabia, saber diferenciar um adversário de um inimigo. Às vezes, no rompimento, nós não temos títulos, mas usamo-los apenas naquele momento, para atormentar o adversário, porque fora das câmaras, nós temos outro perfil e vivemos outra realidade. Estou desde 2013 na liga e desde 2000 a fazer rap. Eu peguei o rompimento porque me encontrei e gosto, tenho músicas, mas não estou focado nelas”, revelou.  Para JEO MC, a concorrente mais nova da RRPL, as batalhas de freestyles ajudaram a evoluir consideravelmente a sua dicção, e reconheceu, no entanto, a habilidade de outros gladiadores. 

“Com certeza, evoluí bastante. Anteriormente, eu era mais liricista. Neste show, tive que colocar mais humor nas minhas dicas, porque eram mais conscientes. A liga não mudou a minha forma de compor, porque eu sempre empreendi na minha forma de escrever, mas na dicção das barras melhorei bastante, sendo que antes falava muito baixo, mas agora acho que o meu fôlego aumentou e tenho uma dicção melhor", expressou, perspectivando então melhorias dali para frente, uma vez que o objectivo de todo gladiador é vencer. 

Questionada sobre como encara os outros rompedores, a também MC foi franca ao responder que são todos bons gladiadores com certeza, embora a descrição de métrica seja diferente, dependendo de cada um. “Há quem é mais liricista e outros mais humoristas", disse.

Finalmente, Tanay-Z confessou ter tido um melhor aperfeiçoamento durante as batalhas de freestyles, tendo em conta a interacção com os outros rompedores verbais. “Partilho muitas cenas com os outros gladiadores, ganhei muita experiência, aperfeiçoei a minha maneira de rimar, e hoje sou considerado um dos melhores em rompimento em Angola. Todos que fazem parte da liga são bons, pois só o facto de estar nesta liga significa muita coisa. Eu gosto de fazer rompimento, é minha praia e faço sem muito esforço. Estou na liga desde 2013”, referiu, tendo, por outro lado, deixado um apelo à coordenação das batalhas. 

“Eu gostaria que houvesse júris fixos na nossa liga. Por causa destas trocas de júris, cada um vem com o dele, mas se tivéssemos já júris fixos, seria bem mais fixe", concluiu.

 

6galeria

Artigos relacionados

Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form