Sociedade
Responsabilidade Social

Fundação Arte e Cultura leva campanha de sensibilização a famílias desfavorecidas na Ilha e oferece máscaras de protecção

Fundação Arte e Cultura leva campanha de sensibilização a famílias desfavorecidas na Ilha e oferece máscaras de protecção
Foto por:
vídeo por:
Cedidas

A Fundação Arte e Cultura e a administração distrital da Ingombota desencadearam recentemente uma campanha de sensibilização e entrega de oferta de máscaras de protecção contra a Covid-19 às famílias desfavorecidas da Ilha de Luanda, Bairro Casas Novas, sector Ponta.

O evento começou com um acto simbólico de entrega das máscaras à Administração da Ingomba na sede da Fundação, Ilha de Luanda, seguindo-se a campanha de sensibilização porta a porta sobre os cuidados a observar na luta contra a contaminação do vírus e entrega das máscaras às famílias em situação de vulnerabilidade.

De acordo com o comunicado enviado ao ONgoma News, foram mais de duas centenas de pessoas contempladas e a produção das máscaras foi da Fundação Arte e Cultura.

“Trata-se de uma primeira experiência para aquilo que pretendemos fazer nos próximos dias. Pudemos atender as famílias, a Polícia Nacional, o Centro Médico. O passo dado serviu-se para constatarmos o que realmente constitui urgência para as famílias da Ilha de Luanda, hoje. Desde sempre trabalhamos com as comunidades vulneráveis. O que nós fizemos para este caso específico foi accionar o nosso projecto “Costura para Todos”, e produzir máscaras para atender as famílias mais necessitadas da Ilha de Luanda”, assegurou a directora administrativa da Fundação Arte e Cultura, Alfonsina Domingos, em representação da directora-geral da Fundação, Naama Margalit, tendo referido que acto começou com o sector Ponta e seguir-se-á para outros sectores.

De acordo com o administrador do distrito da Ingombota, Rui Duarte, a população da sua zona de jurisdição vai dia-a-dia acatando as orientações do Decreto Presidencial sobre o Estado de Emergência, que orienta o confinamento das pessoas, não obstante os cuidados a observar para evitar que o pior aconteça no país.

“Notamos que estão a cumprir as ordens. Começam a sentir alguma responsabilidade nas acções quotidianas. Nos quintais, as famílias estão mais concentradas. Para nós, já acaba sendo satisfatório. Pretendemos que estas campanhas de sensibilização cheguem a mais pessoas para que se reservem, evitando que o vírus propague-se”, disse o dirigente.

Destaque

No items found.

6galeria

Redacção

A Fundação Arte e Cultura e a administração distrital da Ingombota desencadearam recentemente uma campanha de sensibilização e entrega de oferta de máscaras de protecção contra a Covid-19 às famílias desfavorecidas da Ilha de Luanda, Bairro Casas Novas, sector Ponta.

O evento começou com um acto simbólico de entrega das máscaras à Administração da Ingomba na sede da Fundação, Ilha de Luanda, seguindo-se a campanha de sensibilização porta a porta sobre os cuidados a observar na luta contra a contaminação do vírus e entrega das máscaras às famílias em situação de vulnerabilidade.

De acordo com o comunicado enviado ao ONgoma News, foram mais de duas centenas de pessoas contempladas e a produção das máscaras foi da Fundação Arte e Cultura.

“Trata-se de uma primeira experiência para aquilo que pretendemos fazer nos próximos dias. Pudemos atender as famílias, a Polícia Nacional, o Centro Médico. O passo dado serviu-se para constatarmos o que realmente constitui urgência para as famílias da Ilha de Luanda, hoje. Desde sempre trabalhamos com as comunidades vulneráveis. O que nós fizemos para este caso específico foi accionar o nosso projecto “Costura para Todos”, e produzir máscaras para atender as famílias mais necessitadas da Ilha de Luanda”, assegurou a directora administrativa da Fundação Arte e Cultura, Alfonsina Domingos, em representação da directora-geral da Fundação, Naama Margalit, tendo referido que acto começou com o sector Ponta e seguir-se-á para outros sectores.

De acordo com o administrador do distrito da Ingombota, Rui Duarte, a população da sua zona de jurisdição vai dia-a-dia acatando as orientações do Decreto Presidencial sobre o Estado de Emergência, que orienta o confinamento das pessoas, não obstante os cuidados a observar para evitar que o pior aconteça no país.

“Notamos que estão a cumprir as ordens. Começam a sentir alguma responsabilidade nas acções quotidianas. Nos quintais, as famílias estão mais concentradas. Para nós, já acaba sendo satisfatório. Pretendemos que estas campanhas de sensibilização cheguem a mais pessoas para que se reservem, evitando que o vírus propague-se”, disse o dirigente.

6galeria

Artigos relacionados

No items found.
Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form