Actualidade
Economia

Feira Intra-africana: Governantes defendem aposta séria nos recursos humanos e naturais de África

Feira Intra-africana: Governantes defendem aposta séria nos recursos humanos e naturais de África
Foto por:
vídeo por:
Angop


Membros da União Africana (UA) e governantes reiteraram ontem, na abertura da primeira Feira Comercial Intra-africana, no Egipto, a necessidade de se apostar seriamente nos recursos humanos e naturais que a África dispõe, para evitar a contínua dependência económica e financeira de outros continentes.

O embaixador de Angola no Egipto, António da Costa Fernandes, na cerimónia de abertura oficial do Pavilhão Multissectorial de Angola na IATF/2018, partilha o mesmo ponto de vista, ao sublinhar que a África tem potencial suficiente para transformar o continente numa potência económica mundial e garantir a prosperidade aos seus povos.

"Hoje estamos a testemunhar o início de um percurso histórico de grande importância, porque com este acto podemos ser independentes economicamente, dentro de cinco ou 10 anos, transformando os nossos próprios recursos com a qualidade desejada para alimentar os mercados regionais do continente berço", augurou, confiante que o evento simboliza início para pôr fim a dependência económica, transformando as potencialidades disponíveis nos países.

Por sua vez, o ministro do Comércio, Jofre Van-Dúnem Júnior, afirmou que a realização da feira demonstra claramente a capacidade intelectual e potencialidades que Angola possui.

De acordo com a Angop, na cerimónia, os participantes defenderam igualmente a implementação de acordos da Zona de Comércio Livre Continental Africana (ZCLCA), prevista para 2019, com vista a acelerar a produção de bens e serviços locais e sair da dependência económica que os países africanos vivem.

A exposição conta com a presença de representantes da UA para o Comércio e Indústria e do Banco Africano de Exportação e Importação (Afreximbank) também intervieram no acto que simbolizou a abertura da IATF/2018.

Dos 54 países de África, 35 estão a participar no evento, perfazendo um total de mil e cem expositores e mais de 200 empresas, que expõem os seus produtos e serviços nos 42 pavilhões montados na feira.

Apesar do contexto económico global, que o mundo atravessa, as empresas levaram para esta feira amostras de materiais tecnológicos, eléctrico, construção, bens alimentares, entre outros.

A realização da primeira Feira Comercial Intra-africana é da iniciativa do Banco Africano de Exportação e Importação (Afreximbank), que disponibilizou vinte e cinco mil milhões de dólares norte-americanos para financiar empresas africanas e reforçar as trocas comerciais entre os países africanos. Esta iniciativa conta também com apoio da União Africana (UA) e do Governo egípcio.



6galeria

Redacção


Membros da União Africana (UA) e governantes reiteraram ontem, na abertura da primeira Feira Comercial Intra-africana, no Egipto, a necessidade de se apostar seriamente nos recursos humanos e naturais que a África dispõe, para evitar a contínua dependência económica e financeira de outros continentes.

O embaixador de Angola no Egipto, António da Costa Fernandes, na cerimónia de abertura oficial do Pavilhão Multissectorial de Angola na IATF/2018, partilha o mesmo ponto de vista, ao sublinhar que a África tem potencial suficiente para transformar o continente numa potência económica mundial e garantir a prosperidade aos seus povos.

"Hoje estamos a testemunhar o início de um percurso histórico de grande importância, porque com este acto podemos ser independentes economicamente, dentro de cinco ou 10 anos, transformando os nossos próprios recursos com a qualidade desejada para alimentar os mercados regionais do continente berço", augurou, confiante que o evento simboliza início para pôr fim a dependência económica, transformando as potencialidades disponíveis nos países.

Por sua vez, o ministro do Comércio, Jofre Van-Dúnem Júnior, afirmou que a realização da feira demonstra claramente a capacidade intelectual e potencialidades que Angola possui.

De acordo com a Angop, na cerimónia, os participantes defenderam igualmente a implementação de acordos da Zona de Comércio Livre Continental Africana (ZCLCA), prevista para 2019, com vista a acelerar a produção de bens e serviços locais e sair da dependência económica que os países africanos vivem.

A exposição conta com a presença de representantes da UA para o Comércio e Indústria e do Banco Africano de Exportação e Importação (Afreximbank) também intervieram no acto que simbolizou a abertura da IATF/2018.

Dos 54 países de África, 35 estão a participar no evento, perfazendo um total de mil e cem expositores e mais de 200 empresas, que expõem os seus produtos e serviços nos 42 pavilhões montados na feira.

Apesar do contexto económico global, que o mundo atravessa, as empresas levaram para esta feira amostras de materiais tecnológicos, eléctrico, construção, bens alimentares, entre outros.

A realização da primeira Feira Comercial Intra-africana é da iniciativa do Banco Africano de Exportação e Importação (Afreximbank), que disponibilizou vinte e cinco mil milhões de dólares norte-americanos para financiar empresas africanas e reforçar as trocas comerciais entre os países africanos. Esta iniciativa conta também com apoio da União Africana (UA) e do Governo egípcio.



6galeria

Artigos relacionados

Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form