Sociedade
Educação

Estudantes preparam pelo menos 5 manifestações pelo regresso às aulas nas universidades públicas

Estudantes preparam pelo menos 5 manifestações pelo regresso às aulas nas universidades públicas
Foto por:
vídeo por:
DR

Pelo menos 5 manifestações vão decorrer em Luanda, entre 15 deste mês e 14 de Maio próximo, protagonizadas por estudantes angolanos, a pedir o regresso às aulas nas universidades públicas do país, paralisadas há mais de um mês, devido à greve dos professores.

Segundo o anúncio do Movimento dos Estudantes Angolanos (MEA), as manifestações visam alertar as autoridades no sentido de responderem às reivindicações dos docentes universitários, sendo que o encontro previsto na segunda-feira com o Ministério das Finanças e do Ensino Superior, para abordar a greve dos professores, que retomou em 27 de Fevereiro, fracassou e se traduziu em “humilhação e desrespeito” aos estudantes.

Nesse sentido, refere o secretariado nacional para o ensino superior do MEA, a organização decidiu dar a última oportunidade aos referidos ministérios para se pronunciarem sobre a sua ausência dentro de dez dias, alertando que, “findo o período, devem ter início as manifestações”.

De acordo com a fonte do site O Guardião, a primeira manifestação está para acontecer nos dias 15 e 16 de Abril, a segunda nos dias 22 e 23, a terceira nos dias 29 e 30 do mesmo, a quarta nos dias 06 e 07 de Maio e a última nos dias 13 e 14 de Maio.

Refira-se no entanto que o Sindicato Nacional dos Professores do Ensino Superior (SINPES) angolano retomou em 27 de Fevereiro passado a greve, por tempo indeterminado, em protesto contra os “salários miseráveis” e a inversão de prioridades do Executivo.

“Quando se pode comprar 45 viaturas num valor total de 9 milhões de euros, isto é um paradoxo. Num país que pretende ser competitivo e sabendo que o conhecimento é uma alavanca para o crescimento, não há vontade política para aumentar salários”, afirmou à Lusa o secretário-geral do SINPES, Eduardo Peres Alberto, na ocasião.

Os professores reivindicam actualização dos salários, melhores condições laborais, seguro de saúde e outras, que constam de um memorando de entendimento de 17 de Novembro de 2021.

6galeria

Redacção

Pelo menos 5 manifestações vão decorrer em Luanda, entre 15 deste mês e 14 de Maio próximo, protagonizadas por estudantes angolanos, a pedir o regresso às aulas nas universidades públicas do país, paralisadas há mais de um mês, devido à greve dos professores.

Segundo o anúncio do Movimento dos Estudantes Angolanos (MEA), as manifestações visam alertar as autoridades no sentido de responderem às reivindicações dos docentes universitários, sendo que o encontro previsto na segunda-feira com o Ministério das Finanças e do Ensino Superior, para abordar a greve dos professores, que retomou em 27 de Fevereiro, fracassou e se traduziu em “humilhação e desrespeito” aos estudantes.

Nesse sentido, refere o secretariado nacional para o ensino superior do MEA, a organização decidiu dar a última oportunidade aos referidos ministérios para se pronunciarem sobre a sua ausência dentro de dez dias, alertando que, “findo o período, devem ter início as manifestações”.

De acordo com a fonte do site O Guardião, a primeira manifestação está para acontecer nos dias 15 e 16 de Abril, a segunda nos dias 22 e 23, a terceira nos dias 29 e 30 do mesmo, a quarta nos dias 06 e 07 de Maio e a última nos dias 13 e 14 de Maio.

Refira-se no entanto que o Sindicato Nacional dos Professores do Ensino Superior (SINPES) angolano retomou em 27 de Fevereiro passado a greve, por tempo indeterminado, em protesto contra os “salários miseráveis” e a inversão de prioridades do Executivo.

“Quando se pode comprar 45 viaturas num valor total de 9 milhões de euros, isto é um paradoxo. Num país que pretende ser competitivo e sabendo que o conhecimento é uma alavanca para o crescimento, não há vontade política para aumentar salários”, afirmou à Lusa o secretário-geral do SINPES, Eduardo Peres Alberto, na ocasião.

Os professores reivindicam actualização dos salários, melhores condições laborais, seguro de saúde e outras, que constam de um memorando de entendimento de 17 de Novembro de 2021.

6galeria

Artigos relacionados

Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form