Actualidade
Política

CPLP precisa ser mais conhecida pelos povos dos Estados membros, defende seu secretário

CPLP precisa ser mais conhecida pelos povos dos Estados membros, defende seu secretário
Foto por:
vídeo por:
DR

O secretário executivo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), Francisco Ribeiro Telles, defendeu ontem, em Luanda, que a organização lusófona precisa ser mais conhecida pelos povos dos Estados membros, tendo anunciado que haverá, para breve, uma maior facilitação na circulação de cidadãos no espaço da comunidade.

Falando à imprensa, no final do encontro com o ministro das Relações Exteriores, Manuel Augusto, na sede da diplomacia angolana, o responsável anunciou também o encontro dos ministros das Relações Exteriores da CPLP em Julho, em Cabo Verde, que deve consolidar um acordo que sirva de base para uma maior mobilidade de estudantes, empresários e cidadãos comuns no espaço da comunidade.

“É um projecto ambicioso que vem no sentido de aproximar, cada vez mais, a organização dos seus cidadãos”, afirmou o antigo embaixador luso em Angola, que no quadro da primeira visita ao país como secretário executivo da CPLP deve ser recebido hoje pelo Presidente da República, João Lourenço.

Francisco Telles disse ainda que com o chefe da diplomacia angolana tratou dos temas da agenda da organização para o próximo biénio, sobretudo, os que têm a ver com o princípio da aproximação da CPLP aos cidadãos. “As pessoas têm que sentir concretamente a importância da organização lusófona”, afirmou.

Cabo Verde assume a presidência rotativa da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, e Angola assumirá os destinos da organização em Julho de 2020.

“Há um interesse internacional crescente pela CPLP nos planos político e diplomático. Existem novos projectos à mesa, sobretudo da mobilidade de cidadãos no espaço lusófono, e na qualidade de secretário executivo estou a trabalhar com Cabo Verde e Angola para a efectivação dos mesmos (projectos)”, afirmou, segundo o Jornal de Angola.

O secretário referiu, entretanto, que a agenda da organização está “muito valorizada” no plano internacional, salientando que existe cada vez maior número de países que desejam fazer parte do grupo CPLP como associados.

No cumprimento do programa de trabalho no país, Francisco Telles reúne-se hoje com o presidente da Assembleia Nacional, Fernando da Piedade Dias dos Santos.

6galeria

Redacção

O secretário executivo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), Francisco Ribeiro Telles, defendeu ontem, em Luanda, que a organização lusófona precisa ser mais conhecida pelos povos dos Estados membros, tendo anunciado que haverá, para breve, uma maior facilitação na circulação de cidadãos no espaço da comunidade.

Falando à imprensa, no final do encontro com o ministro das Relações Exteriores, Manuel Augusto, na sede da diplomacia angolana, o responsável anunciou também o encontro dos ministros das Relações Exteriores da CPLP em Julho, em Cabo Verde, que deve consolidar um acordo que sirva de base para uma maior mobilidade de estudantes, empresários e cidadãos comuns no espaço da comunidade.

“É um projecto ambicioso que vem no sentido de aproximar, cada vez mais, a organização dos seus cidadãos”, afirmou o antigo embaixador luso em Angola, que no quadro da primeira visita ao país como secretário executivo da CPLP deve ser recebido hoje pelo Presidente da República, João Lourenço.

Francisco Telles disse ainda que com o chefe da diplomacia angolana tratou dos temas da agenda da organização para o próximo biénio, sobretudo, os que têm a ver com o princípio da aproximação da CPLP aos cidadãos. “As pessoas têm que sentir concretamente a importância da organização lusófona”, afirmou.

Cabo Verde assume a presidência rotativa da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, e Angola assumirá os destinos da organização em Julho de 2020.

“Há um interesse internacional crescente pela CPLP nos planos político e diplomático. Existem novos projectos à mesa, sobretudo da mobilidade de cidadãos no espaço lusófono, e na qualidade de secretário executivo estou a trabalhar com Cabo Verde e Angola para a efectivação dos mesmos (projectos)”, afirmou, segundo o Jornal de Angola.

O secretário referiu, entretanto, que a agenda da organização está “muito valorizada” no plano internacional, salientando que existe cada vez maior número de países que desejam fazer parte do grupo CPLP como associados.

No cumprimento do programa de trabalho no país, Francisco Telles reúne-se hoje com o presidente da Assembleia Nacional, Fernando da Piedade Dias dos Santos.

6galeria

Artigos relacionados

Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form