Ciência & Tecnologia
Inovação

China. Polícia usa óculos que detectam suspeitos

China. Polícia usa óculos que detectam suspeitos
Foto por:
vídeo por:
DR

Com o objectivo de identificar mais rapidamente os foragidos e controlar mais, a nível estatal, cada uma das pessoas que transitam pelas megacidades do país, desde o primeiro dia deste mês, a Polícia chinesa está a usar óculos de última geração que permitem a identificação na multidão de antecedentes criminais de quem desejarem e em tempo real.

Com os óculos de reconhecimento facial, cujas lentes são compostas de um vidro colorido, os agentes da Polícia podem fazer uma foto ou ter acesso imediato a uma base de dados sobre suspeitos e, se alguma irregularidade é detectada, o agente pode confrontar  informações como nome e endereço da pessoa e pedir reforço para a captura do indivíduo.

O sistema, segundo a imprensa local, já permitiu a captura de sete suspeitos de diferentes crimes, desde abusos a tráficos humanos. Por outro lado, através deste método, as autoridades conseguiram identificar 26 pessoas que usavam documentos de identidade falsos.

De lembrar que o reconhecimento facial, tecnologia por trás dos óculos, só tem crescido nos últimos anos na China, e embora um dos maiores obstáculos dos softwares de reconhecimento facial seja conseguir rastrear os rostos de pessoas em imagens em movimento filmadas por câmaras, Wu Fei, director executivo da LLVision Technology Co, empresa responsável pela fabricação dos óculos, garantiu à revista The Verge que o equipamento garante à polícia “capacidade de ter o controlo em qualquer lugar”.

“Ao produzir óculos com inteligência artificial na parte da frente, obtêm-se informações instantâneas e precisas. Você pode decidir em seguida qual vai ser a sua próxima acção", acentuou Wu Fei.

A LLVision diz que o equipamento é capaz de reconhecer indivíduos numa base de dados de 10 mil suspeitos em apenas 100 milisegundos, mas adverte que os níveis de precisão podem variar devido ao “ruído ambiental”.

6galeria

Andrade Lino

Jornalista

Estudante de Língua Portuguesa e Comunicação, amante de artes visuais, música e poesia.

Com o objectivo de identificar mais rapidamente os foragidos e controlar mais, a nível estatal, cada uma das pessoas que transitam pelas megacidades do país, desde o primeiro dia deste mês, a Polícia chinesa está a usar óculos de última geração que permitem a identificação na multidão de antecedentes criminais de quem desejarem e em tempo real.

Com os óculos de reconhecimento facial, cujas lentes são compostas de um vidro colorido, os agentes da Polícia podem fazer uma foto ou ter acesso imediato a uma base de dados sobre suspeitos e, se alguma irregularidade é detectada, o agente pode confrontar  informações como nome e endereço da pessoa e pedir reforço para a captura do indivíduo.

O sistema, segundo a imprensa local, já permitiu a captura de sete suspeitos de diferentes crimes, desde abusos a tráficos humanos. Por outro lado, através deste método, as autoridades conseguiram identificar 26 pessoas que usavam documentos de identidade falsos.

De lembrar que o reconhecimento facial, tecnologia por trás dos óculos, só tem crescido nos últimos anos na China, e embora um dos maiores obstáculos dos softwares de reconhecimento facial seja conseguir rastrear os rostos de pessoas em imagens em movimento filmadas por câmaras, Wu Fei, director executivo da LLVision Technology Co, empresa responsável pela fabricação dos óculos, garantiu à revista The Verge que o equipamento garante à polícia “capacidade de ter o controlo em qualquer lugar”.

“Ao produzir óculos com inteligência artificial na parte da frente, obtêm-se informações instantâneas e precisas. Você pode decidir em seguida qual vai ser a sua próxima acção", acentuou Wu Fei.

A LLVision diz que o equipamento é capaz de reconhecer indivíduos numa base de dados de 10 mil suspeitos em apenas 100 milisegundos, mas adverte que os níveis de precisão podem variar devido ao “ruído ambiental”.

6galeria

Artigos relacionados

Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form