Sociedade
Educação

Bélgica quer cooperar com Angola em projectos de investigação científica

Bélgica quer cooperar com Angola em projectos de investigação científica
Foto por:
vídeo por:
DR

O Reino da Bélgica pretende, a partir do próximo ano, estabelecer um acordo de cooperação com o Governo angolano, que visa promover e desenvolver projectos de investigação científica.

Esse interesse foi dado a conhecer, ontem, pelo embaixador da Bélgica no país, Josef Smets, que frisou já terem sido seleccionados dois institutos superiores do seu país para o cumprimento desse desiderato, falando à imprensa, no Lubango, após uma visita guiada ontem ao Centro de Investigação Científica, recém-inaugurado pela ministra do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação, Maria Sambo.

Entre eles está o Museu Real para a África Central e o Instituto Real Belga de Ciências Naturais, que vão contribuir para a investigação em projectos de biodiversidade no contexto das mudanças climáticas e dos desafios da seca desta região.

De acordo com a Angop, em relação ao centro visitado, Josef Smets disse ter ficado “muito impressionado” ao ver as condições de conservação dos animais, dos objectos e os espaços modernos que ali se encontram, assim como pela qualidade dos métodos científicos e tecnológicos ali implantados.

Afirmou ter descoberto no respectivo centro de investigação científica um manancial da beleza natural e cultural de Angola e aconselhou que mais diplomatas acreditados em Angola aproveitem, reforcem a cooperação e invistam na pesquisa.

O centro de ciência e tecnologia dispõe de mais de 60 peças museológicas, de forma temporária, das mais de 70 mil conservadas em armazéns.

6galeria

Redacção

O Reino da Bélgica pretende, a partir do próximo ano, estabelecer um acordo de cooperação com o Governo angolano, que visa promover e desenvolver projectos de investigação científica.

Esse interesse foi dado a conhecer, ontem, pelo embaixador da Bélgica no país, Josef Smets, que frisou já terem sido seleccionados dois institutos superiores do seu país para o cumprimento desse desiderato, falando à imprensa, no Lubango, após uma visita guiada ontem ao Centro de Investigação Científica, recém-inaugurado pela ministra do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação, Maria Sambo.

Entre eles está o Museu Real para a África Central e o Instituto Real Belga de Ciências Naturais, que vão contribuir para a investigação em projectos de biodiversidade no contexto das mudanças climáticas e dos desafios da seca desta região.

De acordo com a Angop, em relação ao centro visitado, Josef Smets disse ter ficado “muito impressionado” ao ver as condições de conservação dos animais, dos objectos e os espaços modernos que ali se encontram, assim como pela qualidade dos métodos científicos e tecnológicos ali implantados.

Afirmou ter descoberto no respectivo centro de investigação científica um manancial da beleza natural e cultural de Angola e aconselhou que mais diplomatas acreditados em Angola aproveitem, reforcem a cooperação e invistam na pesquisa.

O centro de ciência e tecnologia dispõe de mais de 60 peças museológicas, de forma temporária, das mais de 70 mil conservadas em armazéns.

6galeria

Artigos relacionados

Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form