Actualidade
Política

“Apesar das dificuldades, o Executivo está a apostar no desenvolvimento humano”, afirmou Carolina Cerqueira

“Apesar das dificuldades, o Executivo está a apostar no desenvolvimento humano”, afirmou Carolina Cerqueira
Foto por:
vídeo por:
DR

A ministra de Estado para a Área Social, Carolina Cerqueira, afirmou hoje que apesar de algumas dificuldades, o executivo está a apostar no desenvolvimento humano e em infra-estruturas, uma vez que a guerra “impediu” o desenvolvimento com que sonhava Neto.

Ao discursar no acto central que marcou as comemorações do Dia do Herói Nacional, no município da Chibia, província da Huíla, em representação do Chefe de Estado, João Lourenço, Carolina Cerqueira disse ainda que o alcance do desenvolvimento sustentável é meta do Executivo, e que para a concretização precisa da força da juventude, tendo considerado ser preciso reduzir as assimetrias regionais, augurando o desenvolvimento sustentável, salvaguardando as expectativas de todos os angolanos, daí o lema das celebrações, “Unidade no Resgate dos Valores da Pátria”.

A ministra, para quem falar do resgate dos valores morais é uma maneira de recordar Neto e das tradições angolanas e olhar para o patriotismo, sentimento nobre que deve ser incutido em tenra idade bem como reforçado na adolescência, apontou igualmente a necessidade de resgatar os valores morais, pois muitos dos cidadãos estão habituados a práticas que não estão de acordo com a moral e há registo de atentados contra a ética, que põem em causa o bem-estar das pessoas.

“Vivemos momentos de imensos desafios, mas precisamos ter coragem e continuar a acreditar nesse sonho de Neto que possui pouco mais de 40 anos e mantém-se actual. É preciso que haja melhoria na saúde, melhorar o índice de desenvolvimento humano, onde a educação e a saúde têm de ser mais inclusivas”, prosseguiu, citada pela Angop.

A responsável avançou que resolver os problemas do povo é também combater a pobreza, o que deve ser feito de forma integrada e sustentada, não apenas no sentido de fazer assistência, pelo que é necessário ajudar as famílias a adquirirem conhecimentos que garantam a sua auto-sustentabilidade.

“A agricultura deve voltar a ser a base do desenvolvimento do país. Investir nela implica apostar na transformação e escoamento da produção, pois o investimento na agricultura constitui um incentivo à criação de empregos e a Huíla tem um grande potencial agro-pecuário e pode ajudar a diminuir a grande pressão demográfica que outras regiões do país assistem”, disse a ministra.

6galeria

Redacção

A ministra de Estado para a Área Social, Carolina Cerqueira, afirmou hoje que apesar de algumas dificuldades, o executivo está a apostar no desenvolvimento humano e em infra-estruturas, uma vez que a guerra “impediu” o desenvolvimento com que sonhava Neto.

Ao discursar no acto central que marcou as comemorações do Dia do Herói Nacional, no município da Chibia, província da Huíla, em representação do Chefe de Estado, João Lourenço, Carolina Cerqueira disse ainda que o alcance do desenvolvimento sustentável é meta do Executivo, e que para a concretização precisa da força da juventude, tendo considerado ser preciso reduzir as assimetrias regionais, augurando o desenvolvimento sustentável, salvaguardando as expectativas de todos os angolanos, daí o lema das celebrações, “Unidade no Resgate dos Valores da Pátria”.

A ministra, para quem falar do resgate dos valores morais é uma maneira de recordar Neto e das tradições angolanas e olhar para o patriotismo, sentimento nobre que deve ser incutido em tenra idade bem como reforçado na adolescência, apontou igualmente a necessidade de resgatar os valores morais, pois muitos dos cidadãos estão habituados a práticas que não estão de acordo com a moral e há registo de atentados contra a ética, que põem em causa o bem-estar das pessoas.

“Vivemos momentos de imensos desafios, mas precisamos ter coragem e continuar a acreditar nesse sonho de Neto que possui pouco mais de 40 anos e mantém-se actual. É preciso que haja melhoria na saúde, melhorar o índice de desenvolvimento humano, onde a educação e a saúde têm de ser mais inclusivas”, prosseguiu, citada pela Angop.

A responsável avançou que resolver os problemas do povo é também combater a pobreza, o que deve ser feito de forma integrada e sustentada, não apenas no sentido de fazer assistência, pelo que é necessário ajudar as famílias a adquirirem conhecimentos que garantam a sua auto-sustentabilidade.

“A agricultura deve voltar a ser a base do desenvolvimento do país. Investir nela implica apostar na transformação e escoamento da produção, pois o investimento na agricultura constitui um incentivo à criação de empregos e a Huíla tem um grande potencial agro-pecuário e pode ajudar a diminuir a grande pressão demográfica que outras regiões do país assistem”, disse a ministra.

6galeria

Artigos relacionados

Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form