Actualidade
Política

Angola sobe 19 lugares no ranking internacional do combate à corrupção

Angola sobe 19 lugares no ranking internacional do combate à corrupção
Foto por:
vídeo por:
DR

Angola subiu 19 lugares no rankinginternacional dos países que combatem a corrupção, a impunidade e promovem orespeito dos direitos humanos, informou esta quinta-feira oministro da Justiça e dos Direitos Humanos, Francisco Queirós.

Em declarações à imprensa, o responsável esclareceu que,de um universo de 180 países avaliados pela Organização de TransparênciaInternacional em 2019, Angola passou da posição 165 para 146, e justificou esteposicionamento pelas políticas que o Executivo angolano vem aplicando nocombate à corrupção e à impunidade, bem como na promoção dos direitos humanos,com efeitos positivos.

Afirmou ainda que a avaliação positiva deveu-se ao factode terem sido levados a tribunal muitos casos de corrupção, sem se ter em contaos desenvolvimentos recentes ligados ao “Luanda Leaks”.

Francisco Queirós disse acreditarque as políticas em curso contribuirão para a recuperação da dignidade e do bomnome de Angola a nível internacional, bem como o resgate do respeito dacomunidade internacional e da sociedade angolana, sendo que “tudo isso seráimportante em termos de ética e boas práticas, bem como na melhoria do ambientede negócios, com a finalidade de proporcionar cidadãos melhores condições devida”.

O ministro considerou, também, que “o ambiente está amelhorar profundamente porque a política do Executivo está correcta e no bom caminho”,reconhecendo, no entanto, haver ainda um longo caminho a percorrer nesteprocesso, mas os passos dados em dois anos confirmam que as organizaçõesinternacionais consideram bem sucedidas as políticas implementadas.

Citado pela Angop, o governante descartou a existência deperseguição a certas individualidades, pela qualidade das dezenas de processos,dos agentes implicados e dos casos em julgamento, que demonstram a abrangênciada actuação dos órgãos de justiça.

Por fim, reiterou que “quemcomete irregularidades cai nas malhas da justiça”.

 

6galeria

Redacção

Angola subiu 19 lugares no rankinginternacional dos países que combatem a corrupção, a impunidade e promovem orespeito dos direitos humanos, informou esta quinta-feira oministro da Justiça e dos Direitos Humanos, Francisco Queirós.

Em declarações à imprensa, o responsável esclareceu que,de um universo de 180 países avaliados pela Organização de TransparênciaInternacional em 2019, Angola passou da posição 165 para 146, e justificou esteposicionamento pelas políticas que o Executivo angolano vem aplicando nocombate à corrupção e à impunidade, bem como na promoção dos direitos humanos,com efeitos positivos.

Afirmou ainda que a avaliação positiva deveu-se ao factode terem sido levados a tribunal muitos casos de corrupção, sem se ter em contaos desenvolvimentos recentes ligados ao “Luanda Leaks”.

Francisco Queirós disse acreditarque as políticas em curso contribuirão para a recuperação da dignidade e do bomnome de Angola a nível internacional, bem como o resgate do respeito dacomunidade internacional e da sociedade angolana, sendo que “tudo isso seráimportante em termos de ética e boas práticas, bem como na melhoria do ambientede negócios, com a finalidade de proporcionar cidadãos melhores condições devida”.

O ministro considerou, também, que “o ambiente está amelhorar profundamente porque a política do Executivo está correcta e no bom caminho”,reconhecendo, no entanto, haver ainda um longo caminho a percorrer nesteprocesso, mas os passos dados em dois anos confirmam que as organizaçõesinternacionais consideram bem sucedidas as políticas implementadas.

Citado pela Angop, o governante descartou a existência deperseguição a certas individualidades, pela qualidade das dezenas de processos,dos agentes implicados e dos casos em julgamento, que demonstram a abrangênciada actuação dos órgãos de justiça.

Por fim, reiterou que “quemcomete irregularidades cai nas malhas da justiça”.

 

6galeria

Artigos relacionados

Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form