Ciência & Tecnologia
Telecomunicações

Angola Cables expõe projectos na Futurecom 2017

Angola Cables expõe projectos na Futurecom 2017
Foto por:
vídeo por:
DR

A empresa angolana de telecomunicações, Angola Cables, apresenta desde segunda-feira os seus grandes projectos internacionais de telecomunicação na Futurecom 2017, um evento que decorre até hoje, dia 5 de Outubro, no Transamérica Expo Center, em São Paulo, Brasil.

A multinacional que se dedica à comercialização de circuitos internacionais de voz e dados por cabos submarinos de fibra óptica, neste evento, conta com um stand de 50 metros quadrados na Rua E12, em São Paulo, bem como participou ontem de um certame onde foram abordados os factores essenciais que viabilizam o uso de cabos submarinos.

Em representação da Angola Cables, está o director comercial e marketing da mesma organização, que citado no comunicado de imprensa que recebemos considerou que “os projectos dos datacenters e dos cabos são passos importantes na afirmação da empresa, que servirá de ponte digital para os principais centros de produção e alojamento de conteúdos, produtos e serviços de telecomunicações” assegurando também que “com esta rede transatlântica em operação, os agentes do mercado terão rotas de maior eficiência e alternativas de troca de conteúdos”, explicou.

Ainda segundo o documento, a rede de conectividade internacional da Angola Cables estará concluída com a entrada em serviço dos três sistemas submarinos que atravessam o Atlântico e os seus datacenters instalados em Luanda (Angola) e Fortaleza (Brasil).

Nesse sentido, os sistemas submarinos são compostos pelo Monet, SACS (South Atlantic Cable System) e WACS (West African Cable System), este último actualmente conecta 11 países da costa Ocidental africana a três europeus e se encontra em processo de ampliação.

Já SACS (South Atlantic Cable System), outro sistema submarino, fará a conexão entre o continente africano e a América Latina, ligando Luanda e Fortaleza, previsto para entrar em funcionamento em Julho de 2018.

O Monet, por fim, é o cabo responsável pela ligação entre o Brasil e os Estados Unidos, com conclusão prevista para Novembro deste ano.

Recorde-se que a Angola Cables, fundada em 2009, é a multinacional de telecomunicações que opera no mercado de grossista, cujo core business é a comercialização de capacidade em circuitos internacionais de voz e dados por meio de um sistema de cabos submarinos. É um dos maiores accionistas da WACS (West African Cable System), fornecendo serviços de nível de operador a operadores em Angola, África e Europa, tornando-se rapidamente um dos principais fornecedores de IP por atacado na região.

6galeria

Pedro Kididi

Jornalista

A empresa angolana de telecomunicações, Angola Cables, apresenta desde segunda-feira os seus grandes projectos internacionais de telecomunicação na Futurecom 2017, um evento que decorre até hoje, dia 5 de Outubro, no Transamérica Expo Center, em São Paulo, Brasil.

A multinacional que se dedica à comercialização de circuitos internacionais de voz e dados por cabos submarinos de fibra óptica, neste evento, conta com um stand de 50 metros quadrados na Rua E12, em São Paulo, bem como participou ontem de um certame onde foram abordados os factores essenciais que viabilizam o uso de cabos submarinos.

Em representação da Angola Cables, está o director comercial e marketing da mesma organização, que citado no comunicado de imprensa que recebemos considerou que “os projectos dos datacenters e dos cabos são passos importantes na afirmação da empresa, que servirá de ponte digital para os principais centros de produção e alojamento de conteúdos, produtos e serviços de telecomunicações” assegurando também que “com esta rede transatlântica em operação, os agentes do mercado terão rotas de maior eficiência e alternativas de troca de conteúdos”, explicou.

Ainda segundo o documento, a rede de conectividade internacional da Angola Cables estará concluída com a entrada em serviço dos três sistemas submarinos que atravessam o Atlântico e os seus datacenters instalados em Luanda (Angola) e Fortaleza (Brasil).

Nesse sentido, os sistemas submarinos são compostos pelo Monet, SACS (South Atlantic Cable System) e WACS (West African Cable System), este último actualmente conecta 11 países da costa Ocidental africana a três europeus e se encontra em processo de ampliação.

Já SACS (South Atlantic Cable System), outro sistema submarino, fará a conexão entre o continente africano e a América Latina, ligando Luanda e Fortaleza, previsto para entrar em funcionamento em Julho de 2018.

O Monet, por fim, é o cabo responsável pela ligação entre o Brasil e os Estados Unidos, com conclusão prevista para Novembro deste ano.

Recorde-se que a Angola Cables, fundada em 2009, é a multinacional de telecomunicações que opera no mercado de grossista, cujo core business é a comercialização de capacidade em circuitos internacionais de voz e dados por meio de um sistema de cabos submarinos. É um dos maiores accionistas da WACS (West African Cable System), fornecendo serviços de nível de operador a operadores em Angola, África e Europa, tornando-se rapidamente um dos principais fornecedores de IP por atacado na região.

6galeria

Artigos relacionados

Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form