Ciência & Tecnologia

Angola Cables conecta África e América do Sul em prol de uma comunicação digital mais rápida e de elevada capacidade

Angola Cables conecta África e América do Sul em prol de uma comunicação digital mais rápida e de elevada capacidade
Foto por:
vídeo por:
DR

Angola Cables, operador de telecomunicações angolano de cabos de telecomunicações de fibra óptica realiza dia 9 do corrente mês, o evento de lançamento do primeiro cabo submarino SACS que poderá conectar directamente África e América do Sul e proporcionar rota mais rápida e de elevada capacidade de comunicação digital, a paritr da costa angolana, em Luanda.

O evento terá lugar em Sangano, município da Quissama e contará com a presença do ministro das Telecomunicações e Tecnologias de Informação, José Carvalho da Rocha, operadores do sector económico nacional e internacional, bem como os accionistas e convidados da empresa, informa um comunicado enviado ao ONgoma News.

Segundo António Nunes, Presidente da Comissão Executiva da Angola Cables, os resultados da  construção do SACS são satisfatórios. Quando toda a rede estiver concluída, juntamente com as infra-estruturas envolventes, haverá uma mudança de paradigma no sector, sobretudo porque as comunicações serão muito mais rápidas, menos cinco vezes do tempo necessário para aceder aos conteúdos disponíveis na América, uma região que se posiciona como um dos maiores centros de produção e agregação de conteúdos e serviços digitais.

Lembre-se que Angola Cables é uma multinacional angolana de telecomunicações, fundada em 2009, que opera no mercado de grossista, cujo negócio principal é a comercialização de capacidade em circuitos internacionais de voz e dados através de sistemas de cabos submarinos de fibra óptica. É um dos maiores acionistas do WACS (West Africa Cable System) fornecendo serviços de nível de operador a operadores em Angola e na região subsaariana, tornando-se assim um dos maiores fornecedores de IP grossista na região.

Seus principais projetos - SACS e Monet - vão interligar três continentes: América do Sul, América do Norte e África, bem como o Data Center de Fortaleza, uma instalação de Nível III que irá interligar os seus sistemas de cabo criando uma rede altamente conectada

6galeria

Pedro Kididi

Jornalista

Angola Cables, operador de telecomunicações angolano de cabos de telecomunicações de fibra óptica realiza dia 9 do corrente mês, o evento de lançamento do primeiro cabo submarino SACS que poderá conectar directamente África e América do Sul e proporcionar rota mais rápida e de elevada capacidade de comunicação digital, a paritr da costa angolana, em Luanda.

O evento terá lugar em Sangano, município da Quissama e contará com a presença do ministro das Telecomunicações e Tecnologias de Informação, José Carvalho da Rocha, operadores do sector económico nacional e internacional, bem como os accionistas e convidados da empresa, informa um comunicado enviado ao ONgoma News.

Segundo António Nunes, Presidente da Comissão Executiva da Angola Cables, os resultados da  construção do SACS são satisfatórios. Quando toda a rede estiver concluída, juntamente com as infra-estruturas envolventes, haverá uma mudança de paradigma no sector, sobretudo porque as comunicações serão muito mais rápidas, menos cinco vezes do tempo necessário para aceder aos conteúdos disponíveis na América, uma região que se posiciona como um dos maiores centros de produção e agregação de conteúdos e serviços digitais.

Lembre-se que Angola Cables é uma multinacional angolana de telecomunicações, fundada em 2009, que opera no mercado de grossista, cujo negócio principal é a comercialização de capacidade em circuitos internacionais de voz e dados através de sistemas de cabos submarinos de fibra óptica. É um dos maiores acionistas do WACS (West Africa Cable System) fornecendo serviços de nível de operador a operadores em Angola e na região subsaariana, tornando-se assim um dos maiores fornecedores de IP grossista na região.

Seus principais projetos - SACS e Monet - vão interligar três continentes: América do Sul, América do Norte e África, bem como o Data Center de Fortaleza, uma instalação de Nível III que irá interligar os seus sistemas de cabo criando uma rede altamente conectada

6galeria

Artigos relacionados

Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form